Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    General Motors diminui gastos com carros autônomos Cruise

    Montadora já havia anunciado a redução das operações, assim como interrupção de outro modelo sem motorista

    A Cruise vinha usando veículos Chevrolet Bolt EV modificados, que têm controles para um motorista humano, embora os carros sejam frequentemente enviados por conta própria
    A Cruise vinha usando veículos Chevrolet Bolt EV modificados, que têm controles para um motorista humano, embora os carros sejam frequentemente enviados por conta própria 26/09/2018REUTERS/Heather Somerville

    Peter Valdes-Dapenada CNN

    A General Motors anunciou na quarta-feira (29) que está cortando gastos em sua unidade de carros autônomos, a Cruise.

    “Esperamos que o ritmo de expansão dos Cruise seja mais deliberado quando as operações forem retomadas e os gastos serão substancialmente mais baixos em 2024 do que em 2023”, disse a executiva-chefe da GM, Mary Barra, durante um evento para investidores.

    A GM já havia anunciado que pretende reduzir as operações da Cruise assim que a empresa reiniciar os testes e os serviços de viagem.

    Por enquanto, a Cruise suspendeu as suas operações nos Estados Unidos, onde opera os seus veículos sem condutor em várias cidades, principalmente nos estados do sul.

    No mês passado, o Departamento de Veículos Motorizados da Califórnia revogou as autorizações de Cruise para oferecer viagens ao público naquele estado. A empresa estava oferecendo viagens em São Francisco.

    A suspensão foi resultado de acusações de que a Cruise havia ocultado informações e vídeos sobre um incidente em que um pedestre foi atingido após ser jogado no caminho do carro da Cruise por outro veículo. O veículo da Cruise então avançou, arrastando a pessoa pela calçada por 6 metros. A Cruise negou que tenha retido qualquer prova ou informação.

    Após a suspensão, a Cruise anunciou que estava interrompendo suas operações públicas nos EUA e, na semana passada, o executivo-chefe da Cruise, Kyle Vogt, pediu demissão. O diretor de produtos da empresa, Dan Kan, deixou a empresa pouco tempo depois, de acordo com a Reuters.

    A GM também anunciou anteriormente que havia interrompido a produção da van Origin, um veículo puramente sem motorista que não tem assento de motorista, volante ou pedais. Esses veículos foram usados para testes, mas a GM planejava um dia implantá-los em ruas públicas.

    A Cruise vinha usando veículos Chevrolet Bolt EV modificados, que têm controles para um motorista humano, embora os carros sejam frequentemente enviados por conta própria, sem motorista. (Às vezes, eles são controlados remotamente).

    A GM anunciou na semana passada que, quando retomasse as operações nos Estados Unidos, seria em apenas uma cidade. Ainda não foi anunciada qual cidade será essa, nem quando a Cruise reiniciará suas operações.

    A redução nos gastos está relacionada ao amplo controle da produção e das operações do Cruise. No entanto, Barra reiterou o compromisso da GM com os veículos autônomos.

    “A GM acredita no poder dos veículos autônomos para transformar o futuro da mobilidade. Continuamos fortemente comprometidos com o Cruise e estamos apoiando ativamente a equipe à medida que ela volta a se concentrar na confiança, responsabilidade e transparência”, disse ela.

    Veja também: Lula cita “parceria” com Arábia Saudita e fala de fabricação de aviões da Embraer no Oriente Médio

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original