Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Governo de SP e Antonov confirmam tratativa de US$ 50 bilhões em investimentos ucranianos suspensos após fala de Lula

    Representantes da Antonov também confirmaram a informação e mostraram a apresentação na qual o valor foi destacado

    Imagem ilustrativa de uma aeronave da Antonov
    Imagem ilustrativa de uma aeronave da Antonov Metin Aktas/Anadolu Agency/Getty Images

    Caio Junqueirada CNN

    O governo de São Paulo divulgou nesta quarta-feira (26) uma nota na qual diz que representantes da estatal russa ucraniana Antonov estiveram no Palácio dos Bandeirantes para tratar de investimentos na ordem de US$ 50 bilhões para a construção de uma planta industrial no país.

    O governo paulista afirma ainda que as tratativas foram suspensas após declarações do presidente Lula sobre a guerra da Ucrânia.

    “A Secretaria de Negócios Internacionais do Estado de São Paulo informa que, no dia 11 de abril, recebeu representantes de Oleksandr Nykonenko e Victor Avdeyev, conselheiro e vice-presidente da Antonov Company, para audiência a respeito do interesse da estatal ucraniana Antonov desenvolver atividades no Brasil, em especial no Estado de São Paulo”, diz o governo de SP em nota.

    “Segundo os representantes, a companhia teria um plano de investimentos de US$ 50 bilhões em cinco anos”.

    Posteriormente, os participantes da reunião entraram em contato, por e-mail, informando que “diante das últimas declarações do Governo Federal, a Antonov decidiu suspender as negociações.”

    O governo paulista também confirmou ter recebido posteriormente um comunicado suspendendo as tratativas tendo em vista as declarações do presidente.

    Representantes da Antonov também confirmaram a informação e mostraram a apresentação na qual o valor foi destacado (veja abaixo).

    Comunicado sobre interesse em acordo com São Paulo
    Comunicado sobre interesse em acordo com São Paulo / Reprodução

    Todas as informações foram reveladas na segunda-feira (24) pela CNN.