Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Grupo CCR inicia obras na Rodovia Presidente Dutra com investimento de R$ 1,5 bilhão

    Projeto prevê a implantação do novo traçado da Serra das Araras, na Via Dutra (BR-116), no Rio de Janeiro

    Trecho da Dutra liga São Paulo ao Rio de Janeiro
    Trecho da Dutra liga São Paulo ao Rio de Janeiro Charles Moura/PMSJC

    Da CNN

    São Paulo

    As obras de implantação do novo traçado da Serra das Araras, na Via Dutra (BR-116), no Rio de Janeiro, tiveram início no dia 15 de abril.

    O investimento de R$ 1,5 bilhão para a concretização deste trecho contempla a implantação de 24 viadutos, duas rampas de escape na pista de descida, melhoria em 14 pontos de acesso e a implantação de uma via marginal na pista sul, sentido São Paulo.

    Os trabalhos envolvem um trecho de oito quilômetros por sentido, totalizando 16 quilômetros de extensão, entre o km 225 e o km 233. Neles, serão construídas 93 contenções, oito pontos de ônibus e três passarelas.

    A companhai diz que o empreendimento vai gerar mais de cinco mil empregos diretos e indiretos, além aumentar a segurança das vias.

    De acordo com Eduardo Camargo, presidente da CCR Rodovias, ao executar essas intervenções, a obra atende a um pedido antigo de quem transita pela Via Dutra.

    “Na prática, estamos melhorando a condição de conforto, fluidez e segurança viária, o que irá contribuir para intensificar o fluxo de veículos entre as duas maiores capitais do país”, destaca o executivo.

    Após a conclusão, as novas vias, tanto de subida quanto de descida, contarão com quatro faixas por sentido, além do acostamento e uma faixa de segurança.

    Segundo a CCR RioSP, concessionária que vai executar as obras, o trecho da Serra das Araras, projetado na década de 1940, enfrenta o desafio de se adaptar ao grande volume de tráfego que circula diariamente por ali.

    Hoje, cerca de 390 mil veículos circulam pelos dois sentidos mensalmente, dos quais 36% deles veículos de carga. Juntos, transportam mais da metade do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, diz a companhia.

    O projeto prevê ainda essa ampliação permitirá aumentar a velocidade de circulação de 40 quilômetros por hora para 80 quilômetros por hora, tanto na descida como na subida da Serra. Isso permitirá reduzir em 25% o tempo de percurso na pista de subida, sentido São Paulo, e em 50% na pista de descida, sentido capital fluminense.

    As obras devem durar 52 meses e contarão com mais de 30 canteiros simultâneos. A maioria da mão de obra será absorvida dos municípios de Piraí (RJ) e Paracambi (RJ).

    A previsão da concessionária é de entregar a nova pista de subida em 2028. Já a pista de descida deverá ser concluída em 2029.