Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Alimentação infantil encareceu 57,12% nos primeiros cinco meses desse ano

    Produtos como frutas, proteína animal, leite e comidas para bebês pressionam o orçamento doméstico; nutricionista dá dicas para balancear nutrientes

    Elis Barretoda CNN Rio de Janeiro

    Alimentos essenciais da dieta infantil já encareceram 57,12% só neste ano de 2022. Levantamento da CNN com base na última divulgação do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), divulgado nesta quinta-feira (09) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostra que os itens como frutas, alimentos infantis, leites e proteína animal tiveram um crescimento significativo no preço.

    Além do impacto econômico, a contribuição desses alimentos tem uma função essencial na saúde das crianças. O nutricionista Diego Motta, especializado em nutrição clínica e da família, afirma que nessa faixa etária, é preciso ter uma atenção especial aos nutrientes que eles precisam consumir.

    “As crianças estão em fase de crescimento, tanto físico como do sistema nervoso. O déficit de algumas vitaminas e proteínas pode causar sérios danos a elas, como dificuldade de aprendizagem. Outro ponto muito afetado é o sistema imunológico, já que a alimentação está diretamente ligada à imunidade.”, explica.

    O especialista destaca que além dos alimentos citados, as crianças possuem uma necessidade de consumo de proteína, como carne vermelha, peixes e frango. Mas esses produtos seguem a mesma tendencia de alta nos preços.

    Segundo o IBGE, só em 2022, o patinho, um tipo de corte de carne, cresceu 6,54%. Já peixes como a corvina, merluza e tilápia, registraram aumento de 2,18%, 4,54%, 2,9%, respectivamente.

    “Todos os alimentos estão caros, mas acho que o melhor custo-benefício no momento é o frango, e o patinho, que é uma carne magra. E a carne vermelha também é rica em complexo B, e tem mais ferro, que é importante para evitar anemia ou complicações neurológicas”, avalia o nutricionista.

    As frutas, essenciais como fontes de vitaminas, já acumulam alta de 8,32% neste ano. Só na última divulgação do IBGE, os destaques foram a banana da terra (14,27%), manga (13,62) e morango (13,24%).

    O nutricionista também dá uma sugestão para driblar o preço: consumir mais frutas da estação. Além do benefício financeiro, para Motta, frutas produzidas no período apropriado possuem menos agrotóxicos.

    Já a categoria de alimento infantil, que engloba produtos industrializados específicos para crianças, registrou aumento de 17,97% nos preços, em 2022. O leite longa vida, comum na alimentação de crianças, acumula alta de 25,74% neste ano. Já o leite em pó, cresceu 5,09%.