Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Ibovespa fecha no azul com nova variante do coronavírus; dólar encerra em alta

    Moeda norte-americana fechou o dia com valorização de 0,27%, cotada a R$ 5,611

    Índice de bolsa da Nasdaq
    Índice de bolsa da Nasdaq REUTERS/Andrew Kelly

    Artur Nicocelido CNN Brasil Business* Em São Paulo

    Os mercados globais – inclusive o Brasil – seguiram focados em avaliar a dimensão dos riscos da Ômicron nesta segunda-feira (29). As novas informações trouxeram a percepção de que a variante do coronavírus é menos danosa do que parecia inicialmente, o que deu um pequeno alívio para o cenário mundial.

    E, desde sexta-feira, grandes farmacêuticas já parecem confiantes de que uma nova vacina deve ser lançada rapidamente.

    Assim, o Ibovespa encerrou a sessão desta segunda-feira (29) em alta de 0,58%, aos 102.814,03 pontos, enquanto o dólar fechou o dia subindo 0,27%, cotado a R$ 5,611 – maior patamar em novembro.

    Ainda no radar do mercado está a PEC dos Precatórios, esperada para ser votada amanhã (30) em comissão no Senado.

    Indicadores da semana

    Os investidores também estão de olho na agenda agitada de indicadores da semana.

    Nesta terça-feira (30), serão divulgados os dados de emprego, com o Pnad e o Caged. Na quinta-feira (2) será divulgado o resultado do PIB do terceiro trimestre. Na sexta (3) saem os dados da indústria.

    O mercado espera alguma melhora nos dados de emprego. No PIB, os mesmos fatores que frearam o crescimento no segundo trimestre, como inflação, juros e incertezas fiscais e políticas, se intensificaram. Caso o PIB venha negativo, a economia pode entrar em recessão, quando apresenta dois trimestres seguidos de queda.

    Dólar

    O dólar fechou em alta nesta segunda-feira, acima de R$ 5,60, amparado por renovados temores fiscais no Brasil num dia de força da moeda norte-americana em todo o mundo.

    No fim da manhã, a cotação no Brasil recebeu impulso após notícia da Reuters de que o governo não descarta possibilidade de ter que lançar mão do Orçamento de Guerra mais uma vez para conseguir viabilizar o pagamento do Auxílio Brasil.

    Lá fora, o índice da moeda norte-americana contra uma cesta de rivais de países ricos subia 0,14%, às 17h, horário de Brasília, com o mercado recolocando nos preços expectativa de aumento de juros nos EUA – o que tenderia a elevar os retornos oferecidos pelos títulos do Tesouro norte-americano, tornando, assim, o dólar mais atraente.

    Na última sexta-feira (26), a cotação havia subido 0,55%, a R$ 5,596.

    Nova Variante

    Enquanto o conselheiro do governo sul-africano disse que os casos da variante têm sintomas leves, e que as mutações da cepa parecem desestabilizar o vírus, reduzindo as chances da Ômicron ser dominante com relação à Delta, a OMS (Organização Mundial da Saúde) afirmou que a nova variante representa um risco “muito alto” de surtos e casos

    O Brasil não registrou nenhum caso da nova variante até o momento, e a elevada taxa de vacinação no país é um ponto a favor. Com 60% da população totalmente imunizada contra a Covid-19, o país está acima da média global de imunização, que é de 41%.

    A Ômicron foi relatada pela primeira vez em 24 de novembro na África do Sul, onde as infecções aumentaram vertiginosamente.

    Sobe e desce da B3

    Veja quais foram os principais destaques da sessão desta segunda-feira (29):

    maiores altas

    • Getnet (GETT11) +11,21%
    • Locaweb (LWSA3) +6,77%
    • Usiminas (USIM5) +6,12%
    • Banco Inter (BIDI11) +4,52%
    • Ultrapar (UGPA3) +4,03%

    maiores baixas

    • Cyrela (CYRE3) -3,70%
    • CVC (CVCB3) -2,68%
    • B3 (B3SA3) -2,38%
    • Assaí (ASAI3) -2,32%
    • Ecorodovias (ECOR3) -2,25%

    *Com colaboração de Ligia Tuon e informações de Priscila Yazbek