Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Capacidade de energia solar no Brasil deve crescer 42% em 2023, diz Absolar

    Associação projetou ainda que, em 2023, a fonte renovável deverá gerar mais de 300 mil novos empregos

    Painel de energia solar
    Painel de energia solar em Porto Feliz, São Paulo 13/2/2020 REUTERS/Amanda Perobelli

    da Reuters

    O parque gerador brasileiro da fonte solar fotovoltaica deve crescer 10 gigawatts (GW) em 2023, ou 42,4% ante a potência solar estimada para o fechamento de 2022, alcançando mais de 34 GW, segundo estimativas divulgadas pela associação setorial Absolar nesta quarta-feira (7).

    Dos 34 GW, a entidade estima que 21,6 GW serão provenientes de pequenos e médios sistemas solares instalados pelos consumidores nas residências, pequenos negócios, propriedades rurais e prédios públicos. Essas instalações, classificadas como “geração distribuída”, devem somar 23,87 GW ao final deste ano.

    A potência restante, de 12,4 GW, estará concentrada nas grandes usinas solares, ou “geração centralizada”, que deve fechar 2022 com 7,77 GW.

    A Absolar projetou ainda que, em 2023, a fonte renovável deverá gerar mais de 300 mil novos empregos, e os novos investimentos no setor poderão ultrapassar a cifra de 50 bilhões de reais.

    Segundo a Absolar, as projeções foram feitas com base em um cenário conservador, considerando fatores macroeconômicos, mudanças de governos federal e estaduais, efeitos de políticas energéticas e possíveis consequências da modernização do setor elétrico, entre outros.

    “Projetamos um crescimento consistente da energia solar em 2023, impulsionado pelos aumentos na conta de luz e pelos benefícios proporcionados pela fonte a todos os consumidores brasileiros”, disse Ronaldo Koloszuk, presidente do conselho de administração da Absolar, em nota.