Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    “Despesa é como unha: ou você corta toda semana ou ela imobiliza sua mão”, diz ministro

    Renan Filho participou do evento Invest Alagoas e defendeu que ajuste fiscal deve conciliar elevação de receitas e corte de despesas

    Ministro dos Transportes, Renan Filho, ao lado do governador Paulo Dantas, no Invest Alagoas
    Ministro dos Transportes, Renan Filho, ao lado do governador Paulo Dantas, no Invest Alagoas Crédito: Invest Alagoas

    Danilo Moliternoda CNN São Paulo

    O ministro dos Transportes, Renan Filho, defendeu o corte de despesas pelo governo em evento na noite desta quinta-feira (13). “Despesas do governo é como uma unha: ou você corta toda semana ou ela imobiliza sua mão”, disse em meio à intensificação dos debates sobre o ajuste fiscal da gestão federal.

    Renan Filho participava do Invest Alagoas, evento que reúne autoridades, empresários e especialistas a fim de explorar os potenciais de crescimento do estado. Hoje ministro, o emedebista foi governador de Alagoas por dois mandatos, de 2015 a 2022.

    O alagoano disse que implementou o corte de despesas quando chefe do Executivo estadual e permanece defendendo esta prática nas instâncias internas do governo federal. “É necessário estar sempre olhando para possibilidade de cortar despesas, dar eficiência ao gasto, mas sempre preservando os que mais precisam”, disse.

    O ex-governador mencionou tweet que publicou na manhã desta quinta-feira, em que indica a combinação de elevação de receitas e corte de gastos como caminho ideal para o equilíbrio fiscal. A gestão federal vem recebendo demandas para que seu ajuste esteja voltado às despesas, por suposto exaurimento da arrecadação.

    Segundo dados expostos pelo ministro, no início de sua gestão no estado a relação entre dívida e receita no estado era de 170% — ou seja, a cada R$ 1 que o governo arrecadava, havia R$ 1,70 em estoque de obrigações. Em 2022, quando Renan Filho deixou o governo de Alagoas, a relação era de 50%.

    Para Renan Filho, o ajuste fiscal foi responsável por destravar as capacidades de investimento e levar melhorias ao estado. “Alagoas já foi conhecido por seus problemas, e hoje é conhecido por soluções novas, pelo avanço na economia e nas políticas públicas”, disse.

    Com o Invest Alagoas, o governo estadual espera atrair investimentos que impulsionem o desenvolvimento econômico e social do estado.