Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Exportações do agronegócio de SP crescem 9,3% e batem recorde em 2023, diz instituto

    Importações caíram 1% na mesma base comparativa

    Déficit do comércio exterior paulista só não foi maior devido ao desempenho do agronegócio estadual
    Déficit do comércio exterior paulista só não foi maior devido ao desempenho do agronegócio estadual 16/03/2004 - REUTERS/Paulo Whitaker

    de Estadão Conteúdo

    O agronegócio do Estado de São Paulo exportou 9,3% mais em valor no ano passado em relação a 2022, alcançando o valor recorde de US$ 28,39 bilhões (R$ 139,82 bilhões).

    Já as importações caíram 1% na mesma base comparativa, para US$ 5,05 bilhões (R$ 24,87 bilhões). O superávit da balança comercial paulista cresceu 11,8%, para US$ 23,34 bilhões (R$ 114,94 bilhões).

    As informações são do Instituto de Economia Agrícola (IEA-Apta), em nota. Em relação a tudo o que o Estado exportou em 2022, com US$ 71,03 bilhões (R$ 349,81 bilhões), o agronegócio representou 40%.

    O IEA ressalta que as exportações paulistas nos demais setores da economia, excluindo-se o agronegócio, somaram US$ 42,64 bilhões (R$ 209,99 bilhões), e as importações, US$ 66,73 bilhões (R$ 328,63 bilhões), gerando um déficit externo desse agregado de US$ 24,09 bilhões (R$ 118,64 bilhões) em 2023.

    “Desta forma, conclui-se que o déficit do comércio exterior paulista só não foi maior devido ao desempenho do agronegócio estadual, cujo saldo se manteve positivo”, cita.

    Ainda conforme o IEA, os principais segmentos exportadores do agronegócio paulista em 2023 foram:

    • Complexo sucroalcooleiro: US$ 10,76 bilhões (R$ 52,99 bilhões), sendo que deste total o açúcar representou 88,2% e o álcool etílico-etanol, 11,8%;
    • Complexo soja: US$ 3,64 bilhões (R$ 17,93 bilhões), tendo a soja em grão 82,7% de participação no grupo;
    • Setor de carnes: US$ 3,15 bilhões (R$ 15,51 bilhões), em que a carne bovina representou 82,6%;
    • Produtos florestais: US$ 2,7 bilhões (R$ 13,3 bilhões), com participação de 51,1% em celulose e 41,1% em papel
    • Grupo de sucos: US$ 2,27 bilhões (R$ 11,18 bilhões), dos quais 97,7% referentes a suco de laranja.

    Esses cinco agregados representaram 79,3% das vendas externas do agronegócio paulista. Já o grupo de café, tradicional nas exportações do estado, aparece na oitava posição, com vendas de US$ 896,95 milhões (R$ 4,417 bilhões) – sendo 69% referentes ao café verde e 24,4% de café solúvel.

    Ainda de acordo com o IEA, em 2023, na comparação com 2022, houve importantes variações nos valores exportados dos principais grupos de produtos da pauta paulista, com aumento para os grupos complexo sucroalcooleiro (+26,8%) e de sucos (+18,3%), e queda nos grupos de carnes (-21,1%), café (-11,8%), florestais (-1,2%) e complexo soja (-0,2%).

    Essas variações nas receitas do comércio exterior são derivadas da composição das oscilações tanto de preços como de volumes exportados.