Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    FMI eleva projeção de crescimento da economia do Brasil em 2024 a 2,2%

    PIB brasileiro tem desempenho melhor no começo do ano após estagnação no 4º tri

    Logo do FMI na sede da entidade em Washington
    Logo do FMI na sede da entidade em Washington 04/09/2018 - REUTERS/Yuri Gripas

    Reuters

    A economia do Brasil deve crescer em 2024 e 2025 mais do que o projetado no início do ano, de acordo com novas estimativas divulgadas nesta terça-feira (16) pelo Fundo Monetário Internacional.

    O FMI estima agora que a economia brasileira vai expandir 2,2% em 2024, um aumento de 0,5 ponto percentual em relação à previsão feita em janeiro.

    Para 2025, o Fundo calcula crescimento do Produto Interno Bruto de 2,1%, alta de 0,2 ponto ante a estimativa anterior, mostrou nesta o relatório Perspectiva Econômica Global.

    O PIB brasileiro cresceu 2,9% em 2023, impulsionado principalmente pelo setor agropecuário, de acordo com dados do IBGE.

    Embora a economia tenha ficado estagnada no quarto trimestre em relação aos três meses anteriores, ela vem indicando um desempenho melhor neste início de ano, o que também tem levado economistas de mercado a aumentar suas projeções para a atividade, mas ainda com aposta em desaceleração frente a 2023.

    “No Brasil, o crescimento deve moderar para 2,2% em 2024 diante da consolidação fiscal, efeitos defasados da política monetária ainda apertada e uma contribuição menor da agricultura”, avaliou o FMI.

    O Banco Central embarcou em um ciclo de afrouxamento monetário que tirou a taxa básica de juros Selic de seu pico de 13,75% para o atual nível de 10,75%, com a perspectiva de novas reduções à frente, o que tende a ajudar a economia, principalmente setores ligados a crédito.

    O mercado de trabalho aquecido, a inflação sob controle e o aumento da massa salarial ainda vêm favorecendo a economia brasileira neste início de ano.

    A projeção do FMI para o PIB brasileiro em 2024 é melhor do que a do BC, que atualmente vê crescimento de 1,9%.

    O Ministério da Fazenda, por sua vez, também prevê expansão de 2,2% este ano, mas o chefe da pasta, ministro Fernando Haddad, já afirmou que a estimativa deve ser revisada para ao menos 2,5%.

    O relatório do FMI ainda trouxe números para a inflação. Para o Brasil, o Fundo calcula a inflação em uma média de 4,1% e 3% respectivamente em 2024 e 2025.

    Mercados Emergentes

    Apesar da melhora nas projeções para o crescimento econômico do Brasil, as contas para a América Latina e Caribe pouco mudaram.

    O FMI vê uma desaceleração da expansão da região de 2,3% em 2023 para 2% em 2024, um aumento de 0,1 ponto percentual em relação a janeiro. Para 2025 a conta segue em 2,5%.

    A perspectiva para as Economias de Mercados Emergentes e em Desenvolvimento, das quais o Brasil faz parte, também teve pouca alteração, melhorando em 0,1 ponto percentual para 2024, a 4,2%, mesma taxa de crescimento prevista para 2025, sem alterações neste caso.

    Em 2023, esse grupo cresceu 4,3%.