Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Governo normatiza selo verde para certificar origem sustentável de produtos

    Adoção do selo não é obrigatória, mas governo fornecerá assistência técnica e capacitação para as empresas participantes adaptarem o processo produtivo aos novos critérios

    11/01/2017REUTERS/Paulo Whitaker

    Da CNN

    O governo federal publicou nesta terça-feira (18) as diretrizes do Programa Selo Verde Brasil com o intuito de certificar produtos e serviços brasileiros que atendam a requisitos sustentáveis.

    O programa, que será coordenado pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC), tem como objetivo estimular a melhoria da qualidade dos produtos e serviços brasileiros, aumentar a sustentabilidade em suas cadeias produtivas e ampliar a competitividade desses produtos no Brasil e no exterior.

    Segundo a pasta, a adoção de um selo que identifique produtos e serviços com os princípios de sustentabilidade deve promover a neoindustrialização nacional, estimular o crescimento da economia verde e do mercado de produtos sustentáveis no país, com a promoção da inovação, além de incentivar a economia circular no país.

    De acordo com o Mdic, o Selo Verde Brasil não será obrigatório.

    A validação poderá ser obtida para produtos que atendam aos critérios de sustentabilidade socioambiental a serem definidos em norma técnica elaborada pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

    Entre os requisitos estão: critérios relacionados à rastreabilidade da produção, pegadas de carbono, resíduos sólidos e eficiência energética.

    O Selo Verde Brasil será concedido por certificadoras após serem credenciadas pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro).

    Segundo a pasta, a iniciativa contribuirá ainda com a redução de custos do processo produtivo e diminuição ou até mesmo eliminação de múltiplas certificações.

    O programa contemplará assistência técnica e capacitação para as empresas participantes adaptarem o processo produtivo aos novos critérios.

    A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) serão os principais parceiros para essa ação.

    As pequenas e microempresas serão contempladas pelo Programa.