Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    UE aguarda impacto das sanções à Rússia, mas planeja mais

    Ursula von der Leyen, presidente-executiva da UE, disse que o bloco tomará medidas adicionais contra Moscou se a situação na Ucrânia se deteriorar ainda mais

    O bloco de 27 membros aprovou uma série de restrições financeiras, energéticas, de exportação e de viagens desde a semana passada
    O bloco de 27 membros aprovou uma série de restrições financeiras, energéticas, de exportação e de viagens desde a semana passada Foto: Shutterstock

    Por John Chalmers e Marine Strauss, da Reuters

    A União Europeia está esperando para ver o impacto de uma série de sanções à Rússia antes de impor mais, mas está trabalhando em outras medidas que podem incluir criptoativos, disseram autoridades nesta quinta-feira (3).

    A presidente-executiva da UE disse que o bloco tomará medidas adicionais contra Moscou se a situação na Ucrânia se deteriorar ainda mais após a invasão russa do país na semana passada.

    “Nosso objetivo é reduzir a capacidade do Kremlin de travar uma guerra contra seus vizinhos”, afirmou a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, após uma reunião com o presidente romeno, Klaus Iohannis.

    O bloco de 27 membros aprovou uma série de restrições financeiras, energéticas, de exportação e de viagens desde a semana passada.

    Isso inclui o congelamento de ativos do banco central russo, o fechamento do espaço aéreo da UE para a Rússia, a remoção de vários bancos russos do sistema internacional de pagamentos Swift e sanções a um grupo de magnatas russos.

    “Ainda temos muitas ideias de como podemos levar adiante o trabalho quando se trata de sanções, seja no comércio, no setor de energia, nas exportações, no transporte marítimo”, disse uma autoridade da UE sob condição de anonimato.

    “Então está sendo trabalhado enquanto falamos. Mas acredito que o espírito agora é vermos a implementação e o efeito do que fizemos até agora.”

    Uma segunda autoridade da UE disse que, enquanto o bloco espera que suas sanções “mordam”, há uma análise em andamento sobre como atingir ativos de criptomoedas russos e trabalhar em como “garantir que Belarus não possa ser usada como uma brecha” pelos russos para contornar as sanções.