Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Mercado opera de olho em dados de emprego e Selic mais incerta dos últimos tempos

    Morning Call, com Priscila Yazbek, destaca o que há de mais importante na economia mundial e nacional nesta quarta-feira (27)

    Priscila Yazbekda CNN

    Em São Paulo

    Os mercados operam nesta quarta-feira (27) com recordes de alta lá fora, e de olho na Selic mais incerta dos últimos tempos e nos dados de emprego no Brasil.

    O grande foco é a decisão do Banco Central sobre juros. Uma pesquisa da BCG mostra que 86% dos analistas esperam alta de 1,5 ponto percentual na Taxa Selic, atualmente em 6,25% ao ano. O levantamento ouviu 264 instituições.

    Se o aumento nessa magnitude vier, a taxa vai subir para 7,75% — seria a maior alta da Selic em 18 anos. Das instituições que participaram da pesquisa, 10% esperam aumento ainda maior, de dois pontos.

    Chamou atenção a expectativa da Genial, com o economista José Márcio Camargo, prevendo aumento de 3 pontos de uma vez.

    A reunião de hoje é vista como uma das mais incertas e duras dos últimos tempos por alguns motivos: o primeiro é o furo do teto de gastos, que aumentou o risco do país, pressionou o dólar e jogou expectativas de inflação e Selic para cima.

    O outro motivo é a própria inflação, com o IPCA-15 ontem vindo acima do esperado e no maior patamar para o mês em 26 anos.

    O adiamento da PEC dos Precatórios também aumenta a indefinição sobre a questão fiscal.

    Por isso, o mercado teme que os gastos com o Auxilio Brasil sejam pagos via crédito extraordinário, o que significaria gastos completamente fora do teto e um sinal de “vale tudo”, como definem analistas.

    Do lado positivo, a arrecadação federal bateu recorde e somou R$149,1 bilhões em setembro.

    No cenário corporativo, destaque para os balanços. O Santander reportou lucro de mais de R$ 4 bilhões no terceiro trimestre, alta de 12,5% sobre 2020. O banco também vai distribuir R$ 3 bilhões em dividendos.

    O Banco Inter também soltou resultado, registrando lucro líquido de R$ 19 milhões no terceiro trimestre, revertendo prejuízo de R$ 8 milhões do terceiro trimestre de 2020. A Marfrig reportou lucro de R$ 1,7 bilhão, 148% a mais no balanço do 3º trimestre, com reabertura dos EUA.

    Exterior

    Os índices americanos mais uma vez bateram recordes históricos nesta terça (26), com balanços positivos de empresas, e hoje têm uma leve queda depois das fortes altas dos últimos dias.

    A Microsoft e a Alphabet foram os destaques ontem, com números acima da expectativa. Ainda assim, as ações da dona do Google caíram por causa dos dados mais fracos do YouTube.

    Na Ásia, autoridades chinesas pediram pro dono da Evergrande usar sua fortuna pessoal para pagar a dívida de 300 bilhões de dólares da empresa. É um sinal de que o governo chinês não quer oferecer mais socorros, enquanto Xi Jinping reprime a classe bilionária.

    Na Europa, os índices recuam com destaque negativo de empresas de mineração.

    Agenda do dia

    A taxa de desemprego caiu para 13,2% no trimestre encerrado em agosto, queda sobre a taxa de julho, de 13,7%. Número melhor que o esperado pelo mercado, que previa taxa de 13,2%.

    Mais tarde o Tesouro divulga o relatório mensal da dívida e tem a decisão da taxa de juros Selic.