Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Ibovespa fecha em alta com IPCA e cautela por Fed; dólar estabiliza em R$ 5,35

    Decisão monetária dos EUA será divulgada nesta quarta-feira

    Cris Faga/NurPhoto via Getty Images

    Da CNN*

    São Paulo

    O Ibovespa fechou no campo positivo e o dólar ficou praticamente estável nesta quarta-feira (11), com mercados analisando dados da inflação acima do esperado, enquanto aguardam pela decisão dos juros nos Estados Unidos, na quarta (12).

    O principal índice do mercado doméstico fechou com avanço de 0,73%, aos 121.635 pontos, apesar da pressão negativa de 0,15% da Vale (VALE3) — companhia com maior peso no Ibovespa — em dia de recuo do minério de ferro.

    O clima de cautela global refletiu em leve alta de 0,06% do dólar, negociado a R$ 5,359 na venda, mantendo a cotação nas máximas desde janeiro de 2023.

    Alimentos puxam IPCA

    Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) avançou 0,46% em maio.

    O resultado veio acima das expectativas de analistas consultados pela Reuters, que esperavam uma alta de 0,42% no período. No ano, a inflação acumulada é de 2,27% e, nos últimos 12 meses, de 3,93%.

    O centro da meta para a inflação, medida pelo IPCA, este ano é de 3,0%, com margem de 1,5 ponto percentual para mais ou menos.

    O resultado, influenciado pelas enchentes que têm afetado o Rio Grande do Sul no último mês, pode reforçar a recente preocupação demonstrada por membros do Banco Central com a desancoragem das expectativas de inflação para o fim deste ano e dos próximos.

    Em sua última reunião, o BC reduziu o ritmo de afrouxamento da taxa Selic, agora em 10,50% ao ano, com um corte de 0,25 ponto percentual, após entregar seis cortes consecutivos de 0,50 ponto. Em sua decisão, o BC citou o aumento das incertezas no cenário externo e doméstico. A autarquia também retirou sua orientação futura para os próximos encontros.

    O Comitê de Política Monetária (Copom) se reunirá novamente na próxima semana.

    Uma Selic mais alta no Brasil torna o real mais atraente para uso em estratégias de “carry trade”, em que investidores tomam empréstimos em países com taxas baixas e aplicam os recursos em mercados mais rentáveis, de forma a lucrar com o diferencial de juros.

    Os investidores nacionais também continuam atentos ao compromisso do governo com as contas públicas, à medida que o Executivo segue em busca de medidas para elevar a arrecadação federal e zerar o déficit primário neste ano.

    Mais cedo, o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI) Ricardo Alban, afirmou à CNN que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) deve retirar de tramitação a Medida Provisória (MP) que limitou a compensação de créditos de PIS/Cofins para compensar a desoneração da folha de pagamentos.

    A medida, apresentada ao Congresso na semana passada, teve forte reação negativa de parlamentares e diversos setores da economia.

    Expectativa com Fed

    Mercados em todo o mundo esperam pela decisão do Federal Reserve (Fed), na quarta, que 5,25% a 5,50%, uma vez que as autoridades permanecem cautelosas com a trajetória da inflação de volta à sua meta de 2%.

    Mais do que o número, investidores esperam por possíveis pistas da autoridade monetária para o início do ciclo de queda dos juros neste ano.

    No mesmo dia, o Departamento de Trabalho dos EUA divulgará na quarta-feira dados de preços ao consumidor, com expectativa de analistas consultados pela Reuters de desaceleração em direção a uma alta de 0,1% ao mês, ante o ganho de 0,3% em abril.

    *Com Reuters