Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Preços do cacau sobem quase 10% com redução da oferta e aumento da demanda

    As perspectivas de fornecimento do produto são sombrias graças ao clima irregular e a doenças que atingem a fruta

    Dados sobre o processamento de cacau na Europa e na Ásia, uma medida da demanda, foram muito mais fortes do que o esperado
    Dados sobre o processamento de cacau na Europa e na Ásia, uma medida da demanda, foram muito mais fortes do que o esperado REUTERS/Francis Kokoroko

    da Reuters

    Os contratos futuros do cacau em Londres e Nova York atingiram máximas históricas nesta quinta-feira, com altas de quase 10% na sessão devido à escalada das preocupações com a redução da oferta juntamente com uma demanda melhor do que a esperada.

    Já os futuros do café robusta caíram depois de marcar uma nova máxima pela sexta sessão consecutiva.

    O contrato julho do cacau em Londres fechou em alta de £ 833, ou 9,7%, a £ 9.418 por tonelada métrica, depois de atingir uma máxima de £ 9.535.

    Os negociantes disseram que os dados sobre o processamento de cacau na Europa e na Ásia, uma medida da demanda, foram muito mais fortes do que o esperado, em um contexto de alta de preços do cacau.

    Os preços do cacau subiram mais de 150% somente este ano e, como as perspectivas de fornecimento são sombrias graças ao clima irregular e às doenças, a demanda teria de diminuir para reduzir o déficit.

    A moagem de cacau da Europa no primeiro trimestre caiu 2,2% em relação ao ano anterior, enquanto a moagem de cacau da Ásia diminuiu 0,2% em relação ao ano anterior, segundo dados do setor.

    Mas os negociantes esperavam quedas de 3% a 6% para a Europa e de 8% para a Ásia. Eles agora estão aguardando os dados de moagem da América do Norte, que serão divulgados na quinta-feira.

    O contrato julho do cacau em Nova York subiu 9,6%, para US$ 11.035 a tonelada, tendo atingido um recorde de US$ 11.126.

    Café e açúcar

    O café robusta caiu 133 dólares, ou 3,2%, para US$ 4.062 a tonelada, depois de ter estabelecido anteriormente um novo recorde de US$ 4.292.

    Os agricultores do Vietnã, maior produtor desse tipo de café, estão mantendo seus estoques apesar dos recordes de alta, pois esperam preços ainda melhores, enquanto as perspectivas para a safra da próxima temporada continuam a piorar, graças às condições de seca.

    O café arábica caiu 3,8%, para US$ 2,311 por libra-peso, após atingir valor mais alto desde fevereiro de 2022, a US$ 2,4540.

    O açúcar bruto de maio fechou em alta de US$ 0,27, ou 1,4%, a US$ 19,59 por libra-peso, depois de atingir a mínima de 16 meses na quarta-feira.

    O açúcar foi atingido recentemente por ideias de melhores suprimentos da Ásia e do Brasil, mas os comerciantes disseram que a queda atraiu algumas compras de barganha na quinta-feira.

    O açúcar branco subiu 1,7%, para US$ 568,90 a tonelada.