Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    O que é Open Finance, como funciona e principais benefícios

    Saiba o que é Open Finance, principais vantagens e como ele tem transformado o setor financeiro

    O que é Open Finance e como funciona? - Imagem: Shutterstock/Golden Dayz

    Da CNN

    Entre dezembro de 2021 e abril de 2022, o crescimento de consentimentos no compartilhamento de dados para pessoa física aumentou 8%. Já entre pessoas jurídicas, a alta foi de 60% nesse período. Os dados são da Pesquisa da Febraban de Tecnologia Bancária de 2022 e se referem à adesão de pessoas e empresas ao mercado financeiro aberto no Brasil.

    No início de 2023, o Open Finance atingiu a marca de 15 milhões de clientes únicos e 22 milhões de consentimentos ativos para o compartilhamento de dados financeiros, segundo dados do Banco Central.

    Mas o que é Open Finance? E por que se está falando tanto desse termo? Entenda melhor a seguir.

    O que é Open Finance?

    Open Finance é um modelo que tem como objetivo tornar o mercado financeiro mais aberto e acessível, a partir do compartilhamento de informações financeiras autorizadas entre instituições.

    Ele envolve o uso de tecnologias como APIs (Interface de Programação de Aplicativos) para permitir que empresas e indivíduos acessem dados financeiros de diversas fontes em um único lugar.

    Os aplicativos financeiros se comunicam com múltiplos sistemas, oferecendo uma experiência mais integrada, segura e personalizada. Todo esse processo é regularizado pelo Banco Central do Brasil.

    Qual é a diferença entre Open Finance e Open Banking?

    Embora sejam dois conceitos relacionados, eles não são a mesma coisa.

    O Open Banking se refere especificamente à abertura e compartilhamento de dados bancários entre diferentes instituições financeiras.

    Esse compartilhamento de dados também é feito através de APIs (Interface de Programação de Aplicativos), permitindo que as instituições financeiras acessem as informações dos clientes de outras instituições.

    Isso permite que o cliente use serviços de terceiros, como fintechs, plataformas de investimento e gerenciadores financeiros.

    Já o conceito de Open Finance é mais amplo. Ele envolve a ampliação de Open Banking para outras entidades financeiras, como corretoras, seguradoras e empresas de cartão de crédito.

    Além disso, o Open Finance se estende também para incluir a abertura e compartilhamento de dados financeiros pessoais de clientes com outras empresas fora do setor financeiro, como empresas de tecnologia, varejistas e demais.

    Resumindo, Open Banking é a abertura e compartilhamento de dados entre instituições, enquanto Open Finance é uma evolução dele: abrange todas as áreas financeiras e não financeiras para aumentar a competição e inovação no setor.

    Como o Open Finance funciona na prática?

    Para entender o que é Open Finance e como ele funciona, veja um exemplo prático. Imagine que um usuário queira aumentar o limite do cartão de um banco, mas ele só criou a conta há dois meses.

    Para que ele prove que tem condições de fazer um pagamento, ele pode compartilhar dados de outros bancos, que possui há bem mais tempo, permitindo com que a instituição financeira possa acessar essas informações.

    Com o compartilhamento de dados, o aplicativo pode se conectar às APIs dos diferentes bancos e acessá-las, permitindo que ele veja em tempo real saldos bancários, movimentação de investimentos e gastos com cartão de crédito, por exemplo.

    Considerando isso, as empresas envolvidas no Open Finance precisam atender a requisitos rigorosos de segurança e privacidade de dados, além de obter o consentimento explícito dos usuários antes de compartilhar suas informações.

    4 benefícios do Open Finance

    / Conheça os benefícios do open finance – Imagem: Shutterstock / David Gyung

    Como o objetivo é melhorar a integração entre os atores do mercado financeiro, o Open Finance apresenta benefícios para as empresas e também para os clientes das instituições.

    Entenda melhor os 4 benefícios do Open Finance:

    Opções mais personalizadas

    O Open Finance permite que instituições financeiras tenham acesso a dados financeiros mais precisos dos usuários, fazendo com que elas ofereçam soluções personalizadas de acordo com as necessidades e preferências individuais de cada usuário.

    Isso significa que um investidor pode receber ofertas de investimento que correspondam aos seus objetivos e perfil de risco, enquanto um cliente de cartão de crédito pode receber ofertas com taxas e limites personalizados.

    Melhores condições para os clientes

    Com o compartilhamento de dados financeiros, as instituições podem avaliar de forma mais precisa o risco de crédito dos clientes e oferecer condições mais vantajosas para empréstimos, financiamentos e outros produtos financeiros.

    Além disso, o acesso a uma variedade de informações financeiras pode ajudar os usuários a encontrar opções mais competitivas e atender melhor às suas necessidades financeiras. A ideia é que se há mais personalização, há condições mais adequadas.

    Maior saúde financeira

    Com o controle mais eficiente e preciso dos dados financeiros, o Open Finance pode ajudar os usuários a gerenciar melhor suas finanças e tomar decisões financeiras mais adequadas.

    Isso pode levar a uma maior saúde financeira, com redução de dívidas e gastos excessivos, diminuição de taxas e juros, e mais atenção aos investimentos.

    Melhor controle dos dados

    O Open Finance é seguro e permite que os usuários tenham mais controle sobre os seus dados financeiros, com a possibilidade de escolher quais dados compartilhar e com quem compartilhar.

    Ao fornecer maior transparência e controle sobre dados financeiros, o Open Finance aumenta a confiança do usuário no setor financeiro e na proteção de seus dados.

    Os usuários também podem acessar informações de segurança e privacidade relacionadas aos dados compartilhados e até limitá-las quando quiser, para que possam se sentir mais seguros.

    Como o Open Finance pode revolucionar o sistema financeiro?

    / Como o Open Finance pode revolucionar o sistema financeiro? – Imagem: REUTERS/Adriano Machado

    O Open Finance pode representar uma revolução dentro do sistema financeiro, principalmente porque aumenta a transparência, a competição e a personalização.

    Mas o grande ponto é que essa solução abre o mercado financeiro e inverte a relação entre os personagens: ele coloca os usuários no centro das decisões. Quem decide se, como e quando vai compartilhar os dados são os donos dos dados.

    Ou seja, há um entendimento maior do papel dos clientes diante de um cenário de segurança de dados.

    As pessoas não precisam mais estar dependentes dos requisitos das instituições financeiras. Agora, são elas que precisam se ajustar às necessidades das pessoas.

    Principais desafios do Open Finance

    Saber o que é Open Finance também envolve entender quais são seus desafios, principalmente no início.

    Integrar os canais digitais, adequar-se à legislação de proteção de dados e realizar a governança de APIs são alguns dos principais. Veja a seguir.

    Integrar os canais digitais

    Para que o Open Finance seja bem-sucedido, é necessário que as diferentes instituições financeiras sejam capazes de integrar seus sistemas e canais digitais.

    Isso pode ser desafiador, pois envolve a interoperabilidade de diferentes sistemas, protocolos de segurança e pontos de integração.

    A complexidade das integrações também pode levar às empresas a enfrentar riscos de segurança cibernética, o que pode afetar a confiança do usuário no sistema como um todo.

    Adequar-se à legislação de proteção de dados

    A integração de diferentes sistemas financeiros requer a disponibilização de dados pessoais dos usuários.

    Tornar o Open Finance seguro implica desafios de privacidade e proteção de dados, especialmente com a LGPD e leis de privacidade de dados semelhantes.

    As empresas precisam garantir que estão aderindo às leis adequadas de privacidade e segurança de dados para preservar a confiança do usuário em suas operações.

    Realizar a governança de APIs

    A disponibilização de APIs é uma parte crítica do Open Finance e requer boa governança para proteger a integridade e a segurança dos dados.

    A governança dessas aplicações deve incluir práticas de segurança rígidas, gestão e monitoramento de performance e garantias de disponibilidade confiáveis.

    Uma gestão de APIs inadequada pode levar a problemas graves de segurança, perda de dados e tempo de inatividade.

    Quais são os riscos do Open Finance para os usuários?

    O Open Finance é seguro, mas pode ainda apresentar alguns riscos diante de certos contextos.

    Entre eles, entram as pessoas que contam com uma situação financeira mais limitada e podem não conseguir participar desse novo modelo. As taxas adequadas podem ser mais difíceis, fazendo com que os juros, por exemplo, continuem sendo altos.

    Da mesma forma, a educação em relação à LGPD é fundamental para garantir que as habilitações do compartilhamento de dados sejam adequadas.

    O usuário precisa saber como usar as plataformas e os procedimentos de segurança para não informar o que não é preciso.

    Acompanhe as últimas notícias de economia aqui na CNN

    Resumo

    Resumindo o conteúdo:

    • Open Finance é um conceito que se refere à abertura e compartilhamento de dados financeiros entre diferentes empresas e usuários e representa uma evolução em relação ao Open Banking;
    • Entre os benefícios do Open Finance estão opções mais personalizadas, melhores condições para os clientes e o maior controle de dados, por exemplo;
    • Os usuários passam a estar no centro das decisões em relação aos seus dados;
    • Os principais desafios do mercado financeiro aberto são integrar os canais digitais, adequar-se à legislação de proteção de dados e realizar a governança de APIs.

    Publicado por Thâmara Kaoru