Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    PIB da China cresce 4,5% no primeiro trimestre de 2023, divulga governo

    Após um breve período de interrupções devido ao surto de Covid, a economia começou a mostrar sinais de recuperação

    À medida que a recuperação econômica ganha força, bancos de investimento e organizações internacionais atualizaram as previsões de crescimento da China para este ano
    À medida que a recuperação econômica ganha força, bancos de investimento e organizações internacionais atualizaram as previsões de crescimento da China para este ano Li Yang/Unsplash

    Laura Heda CNN

    A economia da China teve um início sólido em 2023, após sair de três anos de restrições estritas à pandemia.

    O Produto Interno Bruto do país cresceu 4,5% no primeiro trimestre em relação ao ano anterior, de acordo com divulgação do Escritório Nacional de Estatísticas feita na manhã de terça-feira (18), no horário chinês.

    No ano passado, o PIB do país cresceu apenas 3%, perdendo a meta oficial de crescimento de “cerca de 5,5%”, já que a abordagem de Pequim para erradicar o coronavírus causou estragos nas cadeias de suprimentos e afetou os gastos do consumidor.

    Depois que protestos de rua em massa tomaram conta do país e o governo local ficou sem dinheiro para pagar as enormes contas da Covid, as autoridades desistiram da política de Covid zero em dezembro. 

    Após um breve período de interrupções devido ao surto de Covid, a economia começou a mostrar sinais de recuperação.

    Na reunião do mês passado do Congresso Nacional do Povo, o parlamento carimbado do país, o governo traçou um plano de crescimento cauteloso para este ano, com meta de PIB em torno de 5% e meta de geração de empregos de 12 milhões.

    À medida que a recuperação econômica ganha força, bancos de investimento e organizações internacionais atualizaram as previsões de crescimento da China para este ano.

    Em seu relatório World Economic Outlook divulgado na semana passada, o FMI disse que a China está “se recuperando fortemente” após a reabertura de sua economia. A segunda maior economia do mundo deve creser 5,2% este ano e 5,1% em 2024, previu o órgão.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original