Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Shopee e Mercado Livre entram em programa do governo que zera impostos de importação em compras de até US$ 50

    Shein, AliExpress e Sinerlog já fazem parte do Remessa Conforme; Amazon aguarda o resultado do pedido de adesão

    Brenda Silvada CNN

    em Brasília

    As empresas de comércio virtual Shopee e Mercado Livre agora fazem parte do programa Remessa Conforme, que zera a alíquota de importação para compras internacionais de até US$ 50. Numa conversão direta, esse valor equivale a cerca de R$ 245.

    Ambas foram certificadas pela Receita Federal e a informação foi publicada nesta sexta-feira (22) no Diário Oficial da União (DOU).

    Apesar da isenção do imposto de importação, as compras ainda devem contar com tributos estaduais — do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) — de 17%. As condições valem apenas para remessas enviadas a pessoas físicas.

    Caso uma compra ultrapasse os US$ 50 ou seja destinada à pessoa jurídica, será cobrada uma alíquota federal de 60% em cima do valor total, junto ao imposto estadual.

    Segundo a publicação da Receita Federal, a participação das empresas no Remessa Conforme não tem prazo de validade.

    Com o programa, o pagamento de impostos devidos também será realizado de forma antecipada, o que possibilita que as remessas sejam liberadas antes mesmo de chegar no Brasil.

    A Shopee pediu para entrar no Remessa Conforme na semana passada. De acordo com a empresa, que faz parte do grupo de Cingapura Sea, mais de 85% das vendas na plataforma no Brasil são de lojistas nacionais.

    Outras empresas

    A Shein, o AliExpress — do grupo Alibaba — e a Sinerlog já foram certificados no programa da Receita Federal. Já a Amazon, que pediu adesão ao programa na semana passada, ainda não teve o requerimento deferido.

    Na terça-feira (19), a Shein anunciou que vai subsidiar o valor total do ICMS em compras de até US$ 50, além de contar com a isenção da alíquota de importação.

    Em nota, a Shein afirmou que os consumidores poderão ver os valores de cada produto e do imposto estadual separados no momento do checkout no site ou no aplicativo.

    Veja também: Shein começa a isentar taxas em compras de até US$ 50