Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    “The Eras Tour”, de Taylor Swift, pode entrar para a história como a turnê de maior bilheteria

    Só na passagem pela América do Norte, a turnê pode faturar quase R$ 11 bilhões

    Números de Taylor Swift podem superar marca de Elton John
    Números de Taylor Swift podem superar marca de Elton John Mat Hayward/TAS23/Getty Images for TAS Rights Management

    Krystal HurBryan Menada CNN*

    Nova York

    “The Eras Tour”, a mais recente turnê da cantora Taylor Swift, está decolando como um foguete, longe – por bilhões de dólares – da curva da cena musical.

    A turnê pode arrecadar US$ 2,2 bilhões (quase R$ 11 bilhões) apenas em vendas de ingressos na América do Norte, de acordo com dados de pesquisa de agosto da empresa de pesquisa QuestionPro fornecidos exclusivamente à CNN.

    O total sem precedentes representa as vendas de ingressos para a primeira passagem de Swift nos Estados Unidos, que se encerrou em Los Angeles, além da segunda etapa na América do Norte no ano que vem.

    Os totais estimados são o exemplo mais recente da alta demanda por entretenimento e experiências que ajudou a impulsionar a economia e, mais especificamente, é uma demonstração da influência de Taylor Swift e seu impacto nas economias locais dos EUA.

    Nos Estados Unidos, o preço médio dos ingressos de pré-venda e primeira venda foi de US$ 455,78 (R$ 2.274,34). A cantora realizou um total de 68 shows na América do Norte. A pesquisa não levou em consideração se os entrevistados compraram um ingresso ou vários ingressos.

    A média de público por show foi de 72.459, representando áreas fechadas e assentos, de acordo com dados da QuestionPro.

    Por tanto, o cálculo fecha os US$ 2,2 bilhões que tornariam “The Eras Tour” a turnê de maior bilheteria de todos os tempos.

    A despedida “Farewell Yellow Brick Road” de Elton John foi a recordista anterior, arrecadando mais de US$ 887 milhões (R$ 4,4 bilhões) de 2018 a 2023, de acordo com Larry Miller, diretor do programa de negócios musicais da Universidade Steinhardt de Nova York.

    “Estamos falando de um artista pop global que enfrenta uma demanda virtualmente infinita por ingressos”, disse Miller sobre Taylor Swift.

    “The Eras Tour” se tornou um dos maiores eventos sociais do ano, com espectadores gastando milhares de dólares em ingressos, roupas, transporte e hospedagem.

    Em uma pesquisa com 862 pessoas que assistiram aos shows, a QuestionPro estimou que o público gastou em média US$ 291,62 (cerca de R$ 1.455) em roupas, US$ 214,80 (R$ 1.065,99) em mercadorias e US$ 131,48 (R$ 652,50) em comida e bebida.

    Um fenômeno econômico

    “A turnê ‘Eras’ de Taylor Swift está reescrevendo o manual da economia do entretenimento”, disse Chris Leyden, diretor de marketing de crescimento da SeatGeek. “Ela não é apenas uma artista, é um fenômeno econômico.”

    O preço médio de revenda de um ingresso da turnê foi de US$ 1.607 (R$ 7.975,06), confirmou a SeatGeek à CNN.

    A marca representa um aumento de 741% em relação à turnê “Reputation” de 2018, na qual o preço médio dos ingressos de revenda foi de US$ 191 (cerca de R$ 700 na cotação da época).

    Taylor Swift terminou sua primeira passagem pelos EUA em Los Angeles – mas não sem adicionar datas de turnê internacional, uma segunda parte norte-americana da turnê para o ano que vem, anunciando regravações de seus álbuns “1989” e “Speak Now” e lançando o último álbum.

    Ela começa a parte latino-americana da turnê no final de agosto, e pousa em solo brasileiro no mês de novembro.

    No início de agosto, os caminhoneiros da turnê receberam bonificações de US$ 100 mil (quase R$ 500 mil) cada, as quais o dono da empresa disse que “mudariam as vidas” dos funcionários.

    Bancos de alimentos próximos à comunidades onde ela se apresentou disseram ter recebido grandes doações da cantora. Uma rede no Arizona disse que a doação de Swift permitiu enviar vários caminhões carregados com mais de 18 mil quilos de produtos frescos para seus bancos de alimentos.

    “A doação de Taylor Swift certamente ajudou em um momento em que vimos a necessidade escalar”, disse Terri Shoemaker, porta-voz do Arizona Food Bank Network, à CNN .

    Os varejistas também viram um impulso nas receitas graças aos fãs que estavam em busca de roupas que combinassem com o tema das “eras” de Taylor Swift.

    As lojas estão liquidando diversos tipos de roupas, desde vestidos de verão e botas metálicas a ousados ​​vestidos vermelhos.

    A cantora até ganhou um aceno em um relatório do Federal Reserve (Fed), o Banco Central dos EUA.

    “Maio foi o mês mais forte para receita hoteleira na Filadélfia desde o início da pandemia, em grande parte devido ao afluxo de convidados para os shows de Taylor Swift na cidade”, escreveram as autoridades do Fed.

    Taylor Swift deu início à tão esperada “The Eras Tour” – a primeira turnê desde “Reputation” de 2018 – em março. Os shows apresentam um extenso set list de aproximadamente três horas de duração que abrange 14 anos de sua carreira.

    Polêmica com a Ticketmaster

    A grande demanda por ingressos sobrecarregou o site da Ticketmaster em novembro de 2022, quando os ingressos em pré-venda foram lançados pela primeira vez, deixando alguns fãs verificados bloqueados mesmo com códigos de acesso.

    O problema estimulou alguns swifties a abrirem processos contra a Ticketmaster. Fiscais acabaram por interrogar um alto executivo da empresa controladora Live Nation Entertainment durante uma audiência de três horas.

    A Ticketmaster não respondeu aos pedidos de comentários da CNN.

    No Brasil, a situação não foi muito diferente. Após o rápido esgotamento de ingressos no site da T4F, o Procon-SP notificou a empresa cobrando explicações sobre problemas relatados na venda. Sob suspeitas de cambistas serem os responsáveis por grande parte das compras, fãs se revoltaram e a deputada Erika Hilton (Psol) pediu que o Ministério Público investigasse o caso.

    De volta aos EUA, os fãs que não conseguiram garantir os ingressos acabaram indo ouvir os shows da porta dos estádios, de acordo com a plataforma de análise de dados Placer.ai.

    Durante as três noites da turnê em Nashville, Tennessee, cerca de 33% do público do show realizado no Nissan Stadium ficou do lado de fora do local, ocupando dos estacionamentos até a porta traseira.

    “Nunca vimos nada assim”, disse Ethan Chernofsky, vice-presidente sênior de marketing da Placer.ai, observando que o fenômeno lembra os torcedores obstinados do esporte que se deslocam fora dos estádios. “Isso não é comportamento de show.”

    “The Eras Tour” está programada para terminar no final de 2024, desde que ela não estenda a turnê novamente. Miller diz que enquanto é difícil imaginar outro artista musical batendo os recordes da turnê, não é impossível ver a cantora superando ela mesma.

    “Quando se trata de Taylor, aprendi a nunca dizer nunca”, disse ele.

    Veja também: Conheça as “eras” de Taylor Swift

    *Com informações de Tami Luhby, da CNN Internacional

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original