Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Datena relembra passagem por partidos e diz que política utiliza sua popularidade para conseguir votos

    Em evento de filiação ao PSDB nesta quinta-feira (4), apresentador recordou a campanha eleitoral de 2022 e disse ter negado apoio a Lula e Bolsonaro

    Datena e José Anibal em evento de filiação ao PSDB
    Datena e José Anibal em evento de filiação ao PSDB Reprodução/CNN

    Lucas Schroederda CNN São Paulo

    O apresentador José Luiz Datena relembrou, durante evento de filiação ao PSDB nesta quinta-feira (4), sua passagem por mais de uma dezena de partidos e afirmou que a política utiliza sua popularidade para conseguir votos.

    “Eu não dependo da política. A política usa minha popularidade para ver se consegue alguns votos”, declarou Datena ao lado da pré-candidata pelo PSB à Prefeitura de São Paulo, Tabata Amaral. O PSDB é o 11º partido de Datena, que já foi filiado ao PT, MDB, União Brasil, PSB, entre outras siglas.

    Falando a jornalistas na capital paulista, Datena recordou a campanha eleitoral de 2022 e disse ter negado apoio ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e ao ex-presidente e então candidato à reeleição Jair Bolsonaro (PL).

    “Eu neguei apoio ao Bolsonaro lá no Palácio. Neguei apoio a ele, que pediu meu apoio e depois que eu vi que ele começou a meter o pau, todo mundo me chamou de segurança do Bolsonaro e eu fui lá para dizer para ele que eu não era apoiador na campanha”, contou o jornalista.

    “Uma semana depois o Lula me chamou para apoiá-lo. Eu disse ao Lula a mesma coisa: ‘Presidente, se eu neguei apoio ao Bolsonaro, eu não posso apoiar o senhor também, é uma questão de justiça. Então eu não apoiei o presidente Bolsonaro, como não apoiei o presidente Lula. Eu não apoiei ninguém”, complementou Datena.

    Segundo o apresentador, Bolsonaro queria que ele compusesse a chapa de Tarcísio de Freitas (Republicanos) ao Governo de São Paulo. No entanto, disse Datena, Tarcísio não teria demonstrado interesse na hipótese.

    Por fim, Datena revelou ter recebido dois convites de Guilherme Boulos para compor sua chapa na disputa pela prefeitura da capital paulista nas eleições deste ano.

    “Eu gosto até do Boulos, mas ele é esquerda, ele é esquerda para caramba, não sei se é extrema [esquerda], mas eu até gosto dele. O Boulos me convidou duas vezes para ser vice dele. Acho que a maior prova da minha independência, em termos de ideologia, é que todos os segmentos me convidam para ser candidato e quando os segmentos me enchem o saco, eu largo o segmento de extrema-esquerda, extrema-direita”, concluiu Datena.