Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Novas urnas, celular longe da cabine: veja 3 mudanças entre as eleições comandadas por Cármen Lúcia

    Magistrada substitui o ministro Alexandre de Moraes na presidência do TSE a partir de segunda-feira (3)

    Cármen Lúcia esteve na presidência do TSE nas eleições de 2012
    Cármen Lúcia esteve na presidência do TSE nas eleições de 2012 Alejandro Zambrana/Secom/TSE

    Douglas Portoda CNN São Paulo

    Depois de comandar as eleições municipais de 2012, a ministra Cármen Lúcia terá a missão de coordenar os pleitos de outubro deste ano. Nesse período, houve novas medidas implementadas no processo eleitoral.

    A partir de segunda-feira (3), Cármen Lúcia retorna à presidência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), substituindo o ministro Alexandre de Moraes.

    Confira a seguir Veja, a seguir, alguma das medidas adotadas pelo TSE:

    Entrega de celular ao mesário

    Mesários Eleições 2020
    Eleições devem mobilizar 2 milhões de mesários em todo o país / Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

    Em 2022, o TSE decidiu que os eleitores deveriam deixar o celular com os mesários antes de votar, no momento de entrega do documento de identificação.

    Segundo a Corte, o objetivo era garantir o sigilo do voto previsto na Constituição, além de evitar possíveis coações — na ocasião, era disputada a eleição mais polarizada da história do Brasil, entre Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Bolsonaro (PL), pela Presidência da República.

    A regra também vale para outros equipamentos, como câmeras fotográficas.

    Em caso de descumprimento, os mesários poderão acionar o juiz responsável pela zona eleitoral, com a possível solicitação da polícia militar para eventuais esclarecimentos.

    Novas urnas

    Novas urnas eletrônicas utilizadas pelo TSE / 23/09/2022 REUTERS/Diego Vara

    A última eleição, de 2022, também foi marcada pela utilização dos novos modelos de urnas, as UE2020 e UE2022.

    Lançado em 2021, o equipamento tem um novo design e uma maior capacidade de processamento que, se comparada a UE2015, é aumentada em 18 vezes.

    Também tem tela sensível ao toque no terminal do mesário e uma bateria projetada para durar por toda a vida útil do aparelho, que é de aproximadamente 10 anos.

    E-título

    O e-Título pode ser utilizado para se identificar na seção eleitoral
    O e-Título pode ser utilizado para se identificar na seção eleitoral, caso o eleitor tenha registrado a biometria / Foto: Reprodução / Justiça Eleitoral

    Em 2017, foi lançado o e-título, que possibilita o uso de uma via digital do título de eleitor por meio de um aplicativo de celular ou tablet.

    Entretanto, caso o eleitor deseje votar apresentando apenas o e-título, é necessário que o aplicativo contenha sua foto.

    Se não houver, é necessário fazer o cadastro em um Cartório Eleitoral, tanto da foto, quanto da biometria.