BTS fala sobre fazer música, assistir à Netflix e malhar durante a quarentena


Chloe Melas Da CNN
12 de setembro de 2020 às 10:07
Pandemia do novo coronavírus fez BTS cancelar sua turnê mundial

Pandemia do novo coronavírus fez BTS cancelar sua turnê mundial

Foto: Reprodução - 2018/Reuters

Os membros do BTS são como nós – exceto pelos milhões de fãs e os sucessos no topo das paradas de música.

Os rapazes que fazem parte da maior sensação internacional do K-pop deveriam estar em turnê agora. Mas, devido à pandemia da Covid-19, tiveram que apertar o botão de pausa.

Além de trabalhar no lançamento do seu mais recente single de sucesso, “Dynamite”, o grupo disse à CNN em uma entrevista na sexta-feira (11) que tem passado muito tempo nos últimos meses assistindo streamings, como muitos de nós.

“Estamos malhando, assistindo à Netflix e aprendendo a tocar instrumentos. Acho que estamos fazendo muitas atividades de autodesenvolvimento e tentando permanecer ativos”, disse J-Hope.

Jimin acrescentou: “A gente está trabalhando em um novo álbum. Embora não dê para dizer com certeza como serão os shows, ainda estamos trabalhando muito. No meu caso, acho que não estou fazendo quase nada sozinho”.

A pandemia global não diminuiu o sucesso do grupo.

“Dynamite”, a primeira música totalmente em inglês do BTS, está atualmente no topo da parada Billboard Hot100 pela segunda semana consecutiva. Isso faz do BTS o primeiro grupo pop sul-coreano a atingir tal marca, ganhando elogios de outros artistas como Justin Bieber.

O BTS, sigla que significa Beyond the Scene, disse que sentiu que precisava dar ao público uma nova música em meio a esses tempos desafiadores.

“Se tudo corresse conforme o planejado, estaríamos em turnê agora, mas a pandemia mudou tudo. Daí a gente pensou sobre o que podia fazer e o melhor que podia trazer para esta situação. Todo mundo está passando por um momento tão difícil, por isso queríamos animar as pessoas”, disse Suga à CNN.

Os membros do grupo — Jin, Suga, J-Hope, RM, Jimin, V e Jungkook — ainda acham que sua ascensão mundial é um momento tipo “me belisca”.

“Ainda não parece 100% real porque não podemos nos apresentar diante do Army [ou Exército, o apelido oficial do grupo de fãs]. A gente faz e vê todas essas coisas, mas não tem a oportunidade de se apresentar”, disse Jungkook.

Leia e assista também

Grupo de K-Pop BTS será um dos acionistas de sua gravadora (após IPO)

BTS e fãs doam mais de US$ 2 milhões para o movimento Black Lives Matter

Após cancelar turnê, BTS vai transmitir uma série de shows pelo YouTube

O grupo tem sido frequentemente comparado aos Beatles, chegando a quebrar um dos recordes da banda de rock inglesa ao colocar três álbuns no topo da Billboard em um único ano.

J-Hope disse que ser comparado a um grupo lendário traz humildade.

“É uma grande honra ser mencionado junto aos Beatles. Queremos continuar fazendo nossa própria música e mostrar nossas próprias cores”, afirmou J-Hope. “Como grandes fãs dos Beatles, somos gratos por essa associação e queremos trabalhar ainda mais duro para lançar boas músicas. Vamos tentar fazer com que o nome BTS soe tão legal quanto os Beatles”.

O reconhecimento mundial do grupo cresceu em 2018 com seus álbuns “Love Yourself: Answer” e “Love Yourself: Tear”. Além de suas realizações como grupo, eles também fizeram parte de inúmeros sucessos com outros artistas como Halsey, Ed Sheeran, Nicki Minaj e Fall Out Boy.

A enorme base de fãs do BTS não tem paralelo.

Mas o grupo reconhece que a fama vem com algumas desvantagens.

“Na Coreia, chamamos isso de imposto da fama, que temos de pagar”, explicou RM com um sorriso. “Como cidadãos, temos que pagar um imposto de fama e sempre pagamos. Sabe, tem alguns lados positivos e outros negativos também, mas é o nosso destino”.

Jin disse que, embora seja reconhecido em todos os lugares onde pisa, deixar a Coreia do Sul orgulhosa faz com que tudo valha a pena.

“Existem raras ocasiões em que inevitavelmente tenho que sair. E quando eu faço isso, as pessoas vêm até mim para dizer que estão muito felizes em me ver, e que estão orgulhosas de como mais pessoas souberam mais sobre a Coreia por nossa causa”, contou. “Nesses momentos, tenho uma sensação de realização e sinto que realmente mostrei algo às pessoas”.

O BTS Army ajudou a impulsioná-los a quebrar recordes na indústria da música. Além disso, saiu defesa do BTS nas redes sociais no ano passado, quando o grupo foi excluído das indicações ao Grammy.

O grupo está mais esperançoso por uma chance da próxima vez.

“Crescemos assistindo ao Grammy, então sabemos de seu significado. E seria incrível se pudéssemos ser indicados”, disse Suga. “Nunca tivemos um Grammy em mente quando começamos, mas agora se tornou um sonho mais tangível. É algo que queremos realizar, é claro, mas também não é uma coisa que pode acontecer só porque queremos. O que podemos é continuar fazendo o melhor que conseguimos no nosso trabalho”.

(Texto traduzido, clique aqui para ler o original em inglês).