Para os grandes mestres, série 'O Gambito da Rainha' populariza xadrez


Matias Grez e Christiane Amanpour, da CNN
21 de novembro de 2020 às 01:04 | Atualizado 21 de novembro de 2020 às 01:06
Cena da série "O Gambito da Rainha", da Netflix
Ambientada na década de 1960, a série O Gambito da Rainha conta a história da menina prodígio fictícia Beth Harmon, que se torna uma grande mestre no masculino mundo do xadrez
Foto: Phil Bray / Netflix

O último grande sucesso da Netflix pegou até mesmo um dos homens por trás do programa de surpresa. Ambientada na década de 1960, a série O Gambito da Rainha conta a história da menina prodígio fictícia Beth Harmon, que se torna uma grande mestre no masculino mundo do xadrez.

Garry Kasparov, ex-campeão mundial de xadrez e considerado um dos maiores nomes do esporte, atuou como consultor do programa para garantir sua autenticidade.

O xadrez teve uma espécie de ressurgimento nos últimos anos, em parte graças à influência do atual campeão mundial Magnus Carlsen, que está se tornando um nome cada vez mais conhecido em todo o mundo.

Assista e leia também:
O que estreia em novembro na Netflix e Amazon Prime
Lia Bock: Dicas de séries, livros e filmes para refletir sobre o racismo
O Disney+ parecia o futuro da Disney, mas a Covid-19 o tornou salvação

Kasparov afirma que o sucesso de O Gambito da Rainha apenas aumentará ainda mais o apelo global do jogo. “Acho que o xadrez está em alta agora nos Estados Unidos e em todo o mundo", disse ele a Christiane Amanpour, da CNN.

"Mas acho que essa série fará um ótimo trabalho em promovê-lo ainda mais e espero agora um ‘boom’, porque ela ajuda a refutar a imagem do jogo de xadrez como algo que poderia transformar alguém em um nerd – ou enlouquecer uma pessoa", declarou.

"Ao contrário, podemos ver que o xadrez ajuda Beth Harmon a superar sua fraqueza e vício. Portanto, o xadrez ajuda a elevá-la a novas alturas e acho que isso vai encorajar muitos, muitos pais a verem o xadrez de forma mais favorável e a empurrar seus filhos nessa direção, especialmente as meninas."

Aumento do interesse pelo assunto

De acordo com a Federação Internacional de Xadrez (Fide), nos dez dias seguintes ao lançamento de O Gambito da Rainha, as pesquisas pelas palavras “jogo de xadrez” no eBay aumentaram 273%, representando uma busca a cada seis segundos.

Embora a Fide diga que é muito cedo após o lançamento do programa (que aconteceu em 23 de outubro) para dizer se ele teve algum impacto nos números do jogo, o xadrez teve um grande aumento no interesse online desde o primeiro lockdown (bloqueio total) causado pela pandemia do novo coronavírus.

No início de 2020, segundo a Fide, até 11 milhões de partidas de xadrez eram jogadas online todos os dias. Após o bloqueio, esse número aumentou para até 17 milhões. A federação afirma que essas plataformas registraram um aumento de 40% das novas contas cadastradas.

As plataformas de streaming Twitch e YouTube, mais comumente usadas por jogadores online para transmitir jogos de vídeo mais convencionais, também tiveram um aumento. A Fide diz que os usuários do Twitch gastaram cerca de dois milhões de horas vendo xadrez em fevereiro e quatro milhões em abril. Em maio, era de até oito milhões de horas.

'Gigante adormecido'

Com mais de um bilhão de smartphones em todo o mundo com algum tipo de aplicativo de xadrez baixado, a Fide diz que o jogo tem sido um “gigante adormecido”.

"A comunidade do xadrez se apaixonou pela série porque ela retrata com sucesso diferentes aspectos do xadrez em toda a sua riqueza: é fácil de ser divertido de jogar, mas também complexo o suficiente para representar um desafio", disse um porta-voz da Fide à CNN.

"É nerd, mas também descolada e moderna. É intensamente competitiva, mas cheio de personagens interessantes, criativos e coloridos. Estamos muito felizes que, graças a essa série, tantas pessoas estão descobrindo, ou redescobrindo, o xadrez."

Mas, como mostra O Gambito da Rainha, o xadrez continua sendo um jogo dominado por homens. A húngara Judit Polgár é considerada a maior jogadora de todos os tempos e já foi a mais jovem grande mestre da história, aos 15 anos e 4 meses, quebrando o recorde que antes pertencia ao lendário jogador de xadrez norte-americano Bobby Fischer.

Agora, aos 44 anos, Polgár acredita que a série pode ajudar a mudar a dinâmica atual, mas que o programa sozinho não será suficiente.

“Acho que isso pode aumentar imensamente a popularidade do jogo para meninas”, afirmou ela. "E espero que mais meninas não apenas comecem a jogar, mas permaneçam no jogo e sejam apoiadas por seus pais, professores e treinadores, que se forem talentosas, também pode atingir seu potencial máximo", disse. "Acho que é muito importante para todos ver as meninas talentosas receberem o mesmo incentivo que os meninos."

Importância no aprendizado escolar

Polgár espera que qualquer aumento na popularidade após o sucesso de O Gambito da Rainha não seja passageiro. Ela deseja que o xadrez se torne uma parte importante do aprendizado escolar: ela acredita que as crianças se beneficiariam imensamente se isso acontecesse.

Pelos números da Fide, o jogo certamente parece estar caminhando nessa direção. A federação afirma que o número de crianças em idade escolar que participam do xadrez tem “aumentado constantemente” desde 1990, e estima que haja atualmente mais de 30 milhões de crianças participando dos programas de xadrez na escola em todo o mundo.

"Acho que, em geral, o xadrez é uma das ferramentas educacionais mais importantes e, em praticamente todos os países, encontramos diferentes tipos de programas”, disse Polgár. “Ele ensina às crianças muitas habilidades diferentes que podem usar no dia a dia. Só para citar algumas: pensamento lógico, tomada de decisão, responsabilidade, resiliência e muitas coisas que elas deveriam ter no dia a dia. Ele ajuda a ver consequências e decisões de forma que a pessoa saiba como lidar com uma derrota e uma vitória, e para ser forte", afirmou.

"Eu acho que, de várias maneiras, o xadrez pode dar isso para a próxima geração e eu trabalho muito nisso, para promover o xadrez na educação. Garry faz o mesmo, às vezes nós fazemos juntos, e eu realmente acredito que o xadrez vai dar uma melhor qualidade de vida e compreensão para as crianças.”

(Texto traduzido. Leia o original em inglês.)