Séries Originais mostra como agrotóxicos ilegais entram pelas fronteiras do país

Além disso, o programa mostra quem são os jovens que atravessam drogas e produtos contrabandeados, as chamadas 'mulas'

Da CNN, em São Paulo
12 de fevereiro de 2021 às 05:00
CNN Séries Originais mostra como agrotóxicos entram ilegalmente no Brasil
CNN Séries Originais mostra como agrotóxicos entram ilegalmente no Brasil
Foto: CNN

O quarto e último episódio da série “Fronteiras do Brasil”, do CNN Séries Originais, vai à fronteira sul, mais precisamente na região de Foz do Iguaçu, no Paraná, para mostrar como a entrada ilegal de agrotóxicos não regulamentados pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), vindos do Paraguai, afeta a vida na região. 

Segundo informações do Sinan (Sistema de Informação de Agravos de Notificação), que pertence ao governo federal, o Paraná é o estado brasileiro com maior número de intoxicações e mortes por agrotóxico no país. 

Entre 2007 e 2017 (último ano com dados disponíveis), um total de 4.785 paranaenses tiveram intoxicação confirmada. Dentre todas essas ocorrências, 347 terminaram em morte.

Segundo dados da Receita Federal, em 2020, foram apreendidos US$ 158.652 (cerca de R$ 851 mil) em agrotóxicos contrabandeados apenas na região da fronteira do Paraná. No ano de 2018 esse valor foi de US$ 52.353, cerca de R$ 280 mil, um aumento de mais de 300% em apenas dois anos.

A reportagem acompanhou o trabalho de fiscalização da polícia e da Receita Federal para tentar coibir a entrada de agrotóxicos não regulamentados, vindos do Paraguai. No gigantesco galpão da Receita Federal, encontramos um “setor” com centenas de produtos químicos apreendidos. 

Além disso, o programa mostra quem são os jovens que atravessam drogas e produtos contrabandeados, as chamadas “mulas”. 

Programa mostra a quebra dos antigos padrões de beleza da indústria da moda
Foto: CNN

Novos padrões de supermodelos

Já no quarto e último episódio da série “Supermodelos”, o programa mostra a quebra dos antigos padrões de beleza da indústria da moda.

Por conta dos rígidos padrões e por causa de um conceito pré-estabelecido de beleza, o mundo da moda acabou se tornando excludente, preconceituoso. “Muito bullying físico. Até verbal”, disse uma modelo plus size.

O programa mostra o mundo da moda olhando no espelho e revendo conceitos e padrões. “Não tem mais um padrão definido. Qualquer mulher que se sinta poderosa, que queira se arriscar no meio da moda, ela pode, ela pode!”, disse Luiza Brunet.

(Editado por Daniel Fernandes)