Homenagens a Paulo Gustavo têm flores de fãs na porta de hospital e 'aplaudaço'

Aos 42 anos, ator e diretor morreu na noite desta terça-feira (04), no Rio, vítima de complicações causadas pela Covid-19

Cleber Rodrigues, da CNN, no Rio De Janeiro
05 de maio de 2021 às 14:45 | Atualizado 06 de maio de 2021 às 00:56

 

A calçada do hospital Copa Star, em Copacabana, no Rio de Janeiro, virou um espaço reservado à memória de Paulo Gustavo nesta quarta-feira (5). Primeiro, com Antônio Teixeira, um apaixonado pelo trabalho do comediante. “Gostava muito, muito, dele. Ele era a alegria em pessoa”, disse o estudante ao deixar duas rosas sobre a calçada. 

Pouco tempo depois as flores, colocadas na frente do hospital, vieram acompanhadas de um sinal da cruz e uma oração. A homenagem ao comediante foi feita pela vendedora Monique, que ainda seca as lágrimas pela morte da mãe há uma semana – outra vítima da Covid-19.

“O que me conforta é que preciso ser forte, assim como a família dele [Paulo Gustavo] também precisa. A vida tem que continuar. Não somos nós que escolhemos esse momento, Deus é quem está lá”, disse ela, emocionada.

Em Niterói, na região metropolitana do Rio, onde o ator nasceu e começou a dar os primeiros passos na carreira, uma corrente pelas redes sociais, que conta com o apoio do poder público, marcou para às 20h desta quarta-feira (5), um “aplaudaço” de 1 minuto em homenagem ao ator e a todas as vítimas do coronavírus. 

A prefeitura de Niterói decretou três dias de luto oficial pela morte do artista. Em seu perfil nas redes sociais, o prefeito Axel Grael lamentou a perda e destacou que Paulo Gustavo era um defensor das medidas de prevenção à Covid-19.

“Sua inteligência privilegiada e humor contagiante se tornaram sua marca registrada. Assim como todo niteroiense, eu sentia um orgulho enorme de vê-lo brilhar nos palcos e telas. Niterói, aliás, foi um tema recorrente do humorista que, com muito carinho, ajudou a divulgar a imagem da cidade. Toda a minha solidariedade à família neste momento”, escreveu Axel Grael. 

Fã deixa flores diante do hospital onde o ator e diretor Paulo Gustavo esteve internado, no Rio
Foto: Cleber Rodrigues

Internado desde o dia 13 março em decorrência das complicações da Covid-19, Paulo Gustavo morreu na noite desta terça-feira (4), no hospital em Copacabana, na zona sul do Rio.

No último boletim médico, a equipe que cuidou do ator afirmou estar “profundamente consternada” e disse que “em todos os momentos de sua internação, tanto o paciente quanto os seus familiares e amigos próximos tiveram condutas irretocáveis, transmitindo confiança na equipe médica e nos demais profissionais que participaram de seu tratamento”. 

No início da tarde, a assessoria de imprensa de Paulo Gustavo informou que o corpo do ator e diretor será cremado nesta quinta-feira (6), em uma cerimônia restrita a familiares e amigos próximos.

O ator Paulo Gustavo em foto de 28 de setembro de 2015, na pré-estreia do espetáculo Vai que Cola, em São Paulo
Foto: DENISE ANDRADE/ESTADÃO CONTEÚDO