Alec Baldwin apontava para a câmera quando arma disparou, diz depoimento

A declaração forneceu detalhes adicionais sobre o tiroteio acidental de quinta-feira (21) no Novo México, que matou Halyna Hutchins, de 42 anos, e feriu o diretor Joel Souza

Lisa Richwineda Reuters

Ouvir notícia

Alec Baldwin estava cruzando um revólver contra o corpo e apontando para uma câmera durante o ensaio no set de “Rust”, quando a arma disparou e atingiu uma diretora de fotografia no peito, de acordo com um depoimento divulgado no domingo (24).

A declaração forneceu detalhes adicionais sobre o tiroteio acidental de quinta-feira (21) no Novo México, que matou Halyna Hutchins, de 42 anos, e feriu o diretor Joel Souza. Baldwin recebeu a arma e disse que ela estava descarregada, disseram as autoridades em Santa Fé em documentos judiciais.

“Joel afirmou que Alec estava sentado em um banco em um edifício de igreja, e ele estava praticando um empate cruzado. Joel disse que estava olhando por cima do ombro de (Hutchins), quando ouviu o que parecia um chicote e um estalo alto”, diz a declaração.

Hutchins foi baleada na área do peito, disse o documento.

“Joel então se lembra vagamente de ouvir a diretora reclamar sobre o estômago e agarrar sua barriga. Joel também disse que ela começou a tropeçar para trás e ela foi ajudada a descer”, acrescenta a declaração.

Hutchins disse que não sentia as pernas, disse Reid Russel, um cinegrafista que estava ao lado dela no momento do tiroteio.

Um perturbado Baldwin, 63, foi fotografado no sábado do lado de fora de um hotel em Santa Fé, abraçando e conversando com Matt Hutchins, o marido de Halyna Hutchins, e seu filho de nove anos.

Em uma declaração lida para uma vigília à luz de velas no sábado, Matt Hutchins disse que a morte de sua esposa foi “uma perda enorme.”

Ninguém foi acusado pelo incidente fatal durante um ensaio na quinta-feira no Bonanza Creek Ranch, fora de Santa Fé, enquanto o escritório do xerife continua sua investigação.

Vários relatórios de mídia e mídia social levantaram preocupações sobre os protocolos de segurança no set do filme de baixo orçamento. Tanto Souza quanto Russel descreveram uma desistência de uma equipe de filmagem antes do acidente.

“Reid afirmou que a equipe de filmagem estava tendo problemas com a produção envolvendo pagamento e moradia”, diz o depoimento, acrescentando que Russel disse que seis pessoas se retiraram.

Serge Svetnoy, eletricista-chefe de “Rust”, contou em um post no Facebook no domingo que segurou Hutchins pelos braços enquanto ela estava morrendo e culpou “negligência e falta de profissionalismo” por sua morte.

O site de celebridades TMZ.com, citando fontes não identificadas ligadas à produção, publicou que a arma entregue a Baldwin já havia sido usada por membros da equipe para prática de tiro ao alvo, usando balas reais.

A Reuters não conseguiu verificar o relatório e a polícia em Santa Fé não respondeu às investigações no domingo.

De acordo com o Los Angeles Times, mais de uma semana atrás, o dublê de Baldwin disparou acidentalmente dois tiros de uma arma de hélice depois de ser informado que estava “fria”, um termo da indústria que significa que uma arma não está carregada com munição de qualquer natureza.

A Rust Movie Productions disse na semana passada que, embora “não tenha sido informada de nenhuma reclamação oficial relativa à segurança de armas ou adereços no set, estaremos conduzindo uma revisão interna de nossos procedimentos enquanto a produção for encerrada”.

De acordo com os documentos do tribunal, a arma auxiliar foi entregue a Baldwin pelo assistente de direção do filme, Dave Halls, que tem mais de 20 anos de experiência na profissão.

Halls não respondeu aos pedidos de comentários no domingo. Também envolvida na investigação do xerife está a armadora-chefe do filme, Hannah Gutierrez. Ela não pôde ser encontrada para comentar.

Cerca de 200 pessoas participaram da vigília por Hutchins em Albuquerque no sábado. Enquanto os organizadores enfatizaram que o evento era para homenagear a memória de Hutchins, alguns na multidão seguraram cartazes que diziam “Segurança no set”.

Uma segunda vigília foi realizada no domingo na área de Los Angeles, onde algumas centenas de pessoas fizeram luto em um estacionamento privado, de acordo com um fotógrafo da Reuters.

Mais Recentes da CNN