Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    #CNNPop

    Após críticas, Drew Barrymore recua e cancela retorno do seu programa

    Associação de Escritores da América reagiu contra a decisão da atriz de retomar a produção sem roteiristas em meio à greve em Hollywood

    Barrymore publicou um vídeo no qual pedia desculpas “aos escritores” e “aos sindicatos”
    Barrymore publicou um vídeo no qual pedia desculpas “aos escritores” e “aos sindicatos” Reprodução/Instagram/thedrewbarrymoreshow

    Alli RosenbloomLisa Respers Franceda CNN

    Drew Barrymore anunciou neste domingo (17) que cancelou a estreia de seu talk show, após receber reações negativas acerca da decisão de retomar a produção enquanto mais de 11 mil roteiristas de televisão e cinema permanecem em greve.

    “Eu ouvi a todos e estou tomando a decisão de pausar a estreia do programa até que a greve termine”, escreveu Barrymore em um comunicado postado em sua conta verificada do Instagram nesta manhã.

    “Não tenho palavras para expressar minhas mais profundas desculpas a qualquer pessoa que tenha magoado e, claro, à nossa incrível equipe que trabalha no programa e fez dele o que é hoje. Nós realmente tentamos encontrar nosso caminho a seguir. E eu realmente espero uma resolução para toda a indústria muito em breve”, escreveu ela.

    A declaração de Barrymore ocorre após uma semana turbulenta para a atriz e apresentadora de TV, que enfrentou críticas do Associação de Escritores da América (WGA) após defender sua decisão de retomar a produção sem os roteiristas do WGA em meio às greves em andamento em Hollywood.

    Em comunicado compartilhado no Instagram no início deste mês, Barrymore explicou sua posição sobre trazer seu programa de volta. Ela referiu por que já havia escolhido “abandonar” a apresentação do MTV Movie and TV Awards em maio. Ela afirmou que “isso tinha um conflito direto com o que a greve estava tratando, que eram estúdios, serviços de streaming, cinema e televisão”.

    “Para ser claro, nosso talk show terminou em 20 de abril, então nunca tivemos que encerrá-lo”, escreveu ela em seu comunicado. “No entanto, também estou fazendo a escolha de voltar pela primeira vez nesta greve para o nosso show, que pode ter meu nome, mas isso é maior do que apenas eu.”

    A declaração pouco fez para deter a reação e a WGA East anunciou que faria manifestações em seu talk show diurno, sediado em Nova York.

    “O Drew Barrymore TV Show é um programa impactado e coberto pela WGA que está planejando retornar sem seus roteiristas”, postou a associação no “X”, antigo Twitter, na época. “A WGA fez, e continuará fazendo, manifestações contra programas que estão em produção durante a greve. Qualquer movimento no ‘The Drew Barrymore Show’ viola as regras de ataque da WGA.”

    Dias depois, Barrymore publicou um vídeo no qual pedia desculpas “aos escritores” e “aos sindicatos” e dizia que assumia “total responsabilidade por minhas ações”. O vídeo de desculpas foi amplamente ridicularizado nas redes sociais e posteriormente excluído.

    “Eu sei que não há nada que eu possa fazer para aqueles que não estão bem nessa situação. Aceito isso plenamente”, disse ela no vídeo, passando a chamar a situação de “complexa” e que nunca foi sua intenção “incomodar ou machucar alguém”.

    “Não é quem eu sou”, disse ela. “Já passei por tantos altos e baixos na minha vida e este é um deles.”

    A WGA entrou em greve em maio depois que seus membros não conseguiram negociar um novo contrato com os estúdios e serviços de streaming. Em Julho, o SAG-AFTRA, o sindicato que representa 160 mil atores e performers, seguiu o exemplo.

    “The Drew Barrymore Show” estava programado para retornar nesta semana. Outros talk shows diurnos que exibem novos episódios são: “The View”, “Tamron Hall” e “Live with Kelly and Mark”.

    Veja também: Essa greve não vai acabar?