Após revelar ter apenas dois meses de vida, atriz trans Isabel Torres morre aos 52 anos

Ícone da comunidade LGBTQ espanhola, Isabel, alçada ao estrelato pela série "Veneno", da HBO Max, lutava contra um câncer de pulmão

Isabel Torres, uma das principais figuras da comunidade trans na Espanha
Isabel Torres, uma das principais figuras da comunidade trans na Espanha Reprodução/Instagram

Luis Felipe Abreucolaboração para a CNN

Ouvir notícia

Isabel Torres, atriz e ícone da comunidade trans espanhola, morreu nesta sexta-feira (11), aos 52. Há anos a estrela lutava contra um câncer de pulmão.

O anúncio do falecimento ocorreu por meio das redes sociais de Isabel. “Ainda que seus familiares e amigos sintam profundamente sua partida, sabemos que para onde ela for, vai se divertir do jeito que sabe. Obrigada por todas as demonstrações de carinho e preocupação”, lê-se no comunicado divulgado no Instagram da atriz.

Isabel é uma figura célebre na comunidade LGBTQ há décadas. Em 1996, tornou-se a primeira mulher trans a ter seu gênero e nome social reconhecidos em um documento de identidade das Ilhas Canárias. Enquanto apresentadora de televisão, era conhecida pelo seu ativismo social e político.

Em 2020, ela estrelou a série “Veneno”, biografia da cantora trans Cristina Ortiz Rodríguez. A produção, distribuída internacionalmente pela HBO Max, catapultou Isabel ao sucesso internacional pela primeira vez.

Já em novembro de 2011, Isabel compartilhou em seu Instagram um vídeo no qual relatava as dificuldades do tratamento do câncer, diagnosticado há dois anos. Ao anunciar a descoberta de metástases nos ossos, revelou ter apenas mais dois meses de vida.

“Tenho estado muito doente e este é o último vídeo que vou fazer”, conta na postagem. “Foi um prazer conhecê-los, estar com vocês, e viver essa experiência bonita chamada vida”, despediu-se.

Mais Recentes da CNN