Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Relembre as personalidades que morreram em 2021

    Marília Mendonça, Paulo Gustavo, Tarcísio Meira, Eva Wilma: veja artistas e outras figuras que o Brasil e o mundo perderam neste ano

    Luana Franzãoda CNN*

    São Paulo

    Ouvir notícia

    O ano de 2021 foi marcado pela morte de atores, cantores, políticos, acadêmicos e ex-atletas (relembre na galeria acima). A Covid-19 tirou a vida de centenas de milhares de brasileiros, entre eles algumas figuras reconhecidas pelo público.

    Em maio, a morte do comediante Paulo Gustavo comoveu o país, e em agosto, o mesmo ocorreu quando o ator Tarcísio Meira também foi vítima da doença. Além deles, o cantor e político Agnaldo Timóteo, o senador Major Olímpio, e o prefeito de Goiânia, Maguito Vilela, também perderam a vida em decorrência da enfermidade causada pelo coronavírus.

    Em novembro, a morte da cantora e compositora Marília Mendonça, aos 26 anos, em um acidente aéreo, chocou o Brasil. Ainda no meio da música, o país perdeu, ao longo do ano, figuras como os sambistas Nelson Sargento e Monarco, o cantor Genival Lacerda, o cantor e compositor Cassiano, o jovem cantor sertanejo Maurílio, o pianista Nelson Freire, o maestro e compositor Letieres Leite e o trombonista Raul de Souza

    O universo da arte também perdeu em 2021 atrizes e atores de enorme reconhecimento como Eva Wilma, Mila Moreira, Paulo José, Tarcísio Meira, Luis Gustavo, Sergio Mamberti e Orlando Drummond.

    O Brasil também teve grandes perdas no mundo acadêmico, com as mortes de figuras como os filósofos José Arthur Gianotti e Roberto Romano; e na arquitetura e urbanismo, com as partidas de Paulo Mendes da Rocha e Ruy Othake.

    Na política e no esporte, 2021 foi marcado pelas mortes do prefeito de São Paulo Bruno Covas, do ex-vice-presidente Marco Maciel, do senador José Maranhão, da campeã mundial de basquete Ruth de Souza e do campeão mundial de boxe Miguel de Oliveira.

    Fora do Brasil, a morte do duque de Edimburgo, príncipe Philip do Reino Unido, emocionou os britânicos. Ainda na Inglaterra, o baterista Charlie Watts, que fez história no Rolling Stones, morreu aos 80 anos.

    No jornalismo, o entrevistador Larry King, que apresentou seu programa na CNN por mais de 25 anos, morreu nos Estados Unidos.

    *Sob supervisão

    Mais Recentes da CNN