Brad Pitt questiona decisão judicial sobre custódia dos filhos com Angelina Jolie

Equipe de advogados do ator fez uma nova moção contra o afastamento de um juíz do caso, que foi acusado de trabalhar paralelamente aos representantes de Pitt em outros processos

Angelina Jolie e Brad Pitt, quando estavam juntos, chegam ao Festival de Cannes de 2011
Angelina Jolie e Brad Pitt, quando estavam juntos, chegam ao Festival de Cannes de 2011 16/05/2011REUTERS/Jean-Paul Pelissier

Andy Roseda CNN

Ouvir notícia

A complicada disputa entre Angelina Jolie e Brad Pitt pela custódia dos filhos pode acabar nas mãos da Suprema Corte da Califórnia. Os advogados de Pitt pediram na terça-feira (31) ao tribunal superior do estado que reintegrasse o juiz aposentado que foi contratado para arbitrar o desacordo entre Pitt e Jolie sobre a custódia de seus seis filhos.

No mês passado, um tribunal de apelações da Califórnia decidiu que John W. Ouderkirk deveria ser afastado do caso. Ele argumentou que o juiz aposentado trabalhava para os advogados de Pitt em outros assuntos sem revelar totalmente aos advogados de Jolie. A decisão efetivamente apagou a medida de arbitragem da Ouderkirk no caso.

Na nova moção, os advogados de Pitt argumentam que a decisão não apenas anula sua própria disputa de quatro anos, mas pode complicar as decisões de custódia em outros casos. “Tudo isso provavelmente criará incerteza para as partes, que podem ver decisões importantes, como acordos de custódia, desfeitos por motivos fracos de desqualificação, mesmo depois de anos de litígio”, disse o registro do tribunal.

“A decisão do tribunal inferior é ruim para as crianças e ruim para o sobrecarregado sistema judiciário da Califórnia”, disse o advogado de Pitt, Theodore J. Boutrous Jr., à CNN em um comunicado.

Um advogado de Jolie encaminhou a CNN aos publicitários do ator na noite de terça-feira, que não responderam imediatamente a um pedido de comentário.

Não está claro quando a Suprema Corte da Califórnia tomaria uma decisão sobre aceitar ou não o pedido de apelação.

(Texto traduzido. Leia o original em espanhol.)

Mais Recentes da CNN