Busca pelo termo ‘cringe’ sobe 900% em uma semana

O verbo da língua inglesa trouxe à tona as diferenças entre as gerações na internet

Camille Couto e Pedro Duran, da CNN, no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

Um levantamento do Google, feito a pedido da CNN, revelou que a busca pela palavra “cringe” aumentou em 900%, em apenas uma semana, na plataforma.

O verbo da língua inglesa usado pela “geração z” como referência para classificar o que ficou ultrapassado ou brega, trouxe à tona as diferenças entre as gerações na internet.

A polêmica gira em torno de itens e comportamentos adotados por gerações passadas, como exemplo, a adoração pelos personagens da Disney, o gosto por seriados, os livros do Harry Potter, a calça skinny no guarda-roupa e até o hábito de tomar café da manhã. 

Alguns influencers, que juntos somam mais de oito milhões de seguidores nas redes sociais, foram ouvidos a fim de compreender o uso do termo e o choque de gerações.

“É um tempo totalmente diferente porque parece que agora todos estão na internet e é por isso que está rolando muito dessa diferenciação e rotulação entre as gerações Y, Z, millennials”, disse Juan Guedes, de 22 anos, que se considera no limbo por ter nascido entre os anos 90 e 2000. Guedes é influencer do mundo fitness, da beleza e da moda masculina.

Jade Seba, que produz conteúdo sobre maternidade, diz que a condição de mãe já antecipa os pré-julgamentos da internet. “As pessoas saem falando muitas coisas. Com a maternidade eu vivo um pouco mais disso na prática, das pessoas julgando, querendo opinar sempre nas coisas”, disse a influencer de 28 anos, que faz parte da geração millenials.

Influenciadores discutem o que é 'cringe' (04-07-2021)
Influenciadores discutem o que é ‘cringe’ (04-07-2021)
Foto: CNN / Reprodução

Para o professor de comunicação da Ibmec-RJ, Victor Costa Santos, essas divergências se dão a partir do momento em que pessoas com pensamento diferente coexistindo na mesma sociedade e querem expressar suas opiniões. Além disso, ele destaca como as marcas identificam estes comportamentos a fim de atuarem de forma estratégica.

“As empresas nem olham mais de forma genérica, elas têm que olhar de uma forma muito assertiva, elas têm que entender qual a persona que elas estão querendo atingir.” explica.

A executiva de soluções de talentos do Linkedin, Ana Claudia Pihal, garante que a diversidade das gerações é positiva para as empresas que sabem aproveitar o melhor de cada um.

“Pela primeira vez na vida, a gente tá vendo quatro gerações convivendo simultaneamente no mercado de trabalho, isso nunca tinha acontecido antes. Saber disso faz com que abra-se o espaço para acolher todas as gerações, porque como já foi dito, há muito benefício no convívio delas todas no mesmo ambiente de trabalho. Aqui, eu diria que não é mais opcional, é mais um convite para que as empresas se preparem para absorver, relacionar, e criar um ambiente onde o convívio entre essas quatro gerações seja mais produtivo possível.”

Página de busca no Google
Página de busca no Google
Foto: Divulgação / Unsplash

 

Mais Recentes da CNN