Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Família Gucci critica filme de Ridley Scott: “Distante da verdade”

    Em comunicado assinado pelos herdeiros de Aldo Gucci e divulgado pela agência italiana ANSA, família reclama do modo como o fundador da grife foi retratado no filme

    Lady Gaga estrela o filme "Casa Gucci", de Ridley Scott
    Lady Gaga estrela o filme "Casa Gucci", de Ridley Scott Universal Pictures/Divulgação

    Debora Sandercolaboração para a CNN

    Os herdeiros da marca de luxo italiana Gucci emitiram uma nota com duras críticas ao filme “Casa Gucci”, dirigido por Ridley Scott e estrelado por Lady Gaga e Adam Driver.

    Publicado pela agência de notícias italiana ANSA, o comunicado afirma que a produção “não se preocupou em consultar os herdeiros antes de descrever Aldo Gucci e os membros da família como bandidos, ignorantes e insensíveis ao mundo ao seu redor.”

    Lançado no Brasil na última quinta-feira (25), o filme é baseado na história de Patrizia Reggiani, ex-mulher de Maurizio Gucci, ex-diretor e herdeiro da grife. Os dois passaram por um divórcio turbulento que culminou na morte de Maurizio em 1992.

    Alguns anos depois, a socialite foi condenada a 30 anos de prisão, considerada culpada como mandante do assassinato do ex-marido.

    Na nota, a família Gucci se diz especialmente perturbada pela maneira como o filme construiu a personagem de Patrizia Reggiani.

    Os herdeiros apontam “os tons indulgentes para com uma mulher que, efetivamente condenada por ter facilitado o assassinato de Maurizio Gucci, é retratada não só no filme, mas também nas falas dos membros do elenco, como uma vítima tentando sobreviver em uma cultura corporativa machista”.

    A família argumenta que a acusação seria injusta, pois a marca teria promovido uma cultura de igualdade de gênero, com mulheres ocupando uma série de cargos importantes “exatamente na década de 1980 – o contexto histórico em que o filme se passa”.

    Apesar de não ter mais envolvimento direto com a grife de luxo italiana – propriedade da companhia francesa Kering -, a família Gucci ressaltou sua preocupação em proteger a reputação dos herdeiros da marca.

    “Gucci é uma família que honra o trabalho de seus ancestrais, cujas memórias não merecem ser perturbadas em nome de um espetáculo falso e injusto”, criticam.

    Sem ações legais anunciadas até o momento, a nota deixa a possibilidade em aberto: “A família Gucci reserva-se o direito de tomar qualquer iniciativa para proteger seu nome e imagem, assim como os de seus familiares.”

    Na semana passada, no entanto, Ridley Scott rebateu as acusações feitas há vários meses por Patrizia Gucci, prima de Maurizio, de que o filme estaria “roubando a identidade de uma família para gerar lucro e aumentar a receita de Hollywood”.

    Em entrevista ao programa Today, da BBC, Scott se posicionou: “Eu não me envolvo com isso. Temos que lembrar que um Gucci foi assassinado e outro foi preso por sonegação de impostos, então não vamos falar sobre lucro. Quando você faz esse tipo de coisa, você se torna parte do domínio público”, defendeu o diretor.