Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    #CNNPop

    Fãs de Taylor Swift provocam “terremoto” durante performance de “Shake it Off” em Seattle

    O "Swift Quake" superou o "Beast Quake", quando torcedores do Seatlle Seahawks comemoraram um touchdown do time, em 2011

    Taylor Swift durante show da The Eras Tour, no Lumen Field, em Seattle, em 22 de julho
    Taylor Swift durante show da The Eras Tour, no Lumen Field, em Seattle, em 22 de julho Mat Hayward/TAS23/Getty Images for TAS Rights Management

    Jillian SykesAlli Rosenbloomda CNN

    Os fãs de Taylor Swift seguem em sua era de quebra de recordes e causaram atividade sísmica equivalente a um terremoto de magnitude 2,3, segundo a sismóloga Jackie Caplan-Auerbach, durante os shows da cantora em Seattle.

    O “Swift Quake” foi comparado ao “Beast Quake” de 2011, quando os torcedores do Seattle Seahawks explodiram após um impressionante touchdown do running back Marshawn “Beast Mode” Lynch. A celebração que se seguiu foi detectada no mesmo sismômetro local do show de Swift, disse Caplan-Auerbach à CNN.

    Caplan-Auerbach, que trabalha como professora de geologia na Western Washington University, viu a comparação em um grupo de terremotos do noroeste do Pacífico que ela modera no Facebook e imediatamente começou a trabalhar.

    “Peguei os dados das duas noites do show e percebi rapidamente que eram claramente o mesmo padrão de sinais”, disse ela, acrescentando: “Se eu os sobrepuser, eles são quase idênticos”.

    A principal diferença entre os shows de 22 e 23 de julho, além das músicas surpresa que Swift costuma apresentar, é de aproximadamente 26 minutos. “Pesquisei e descobri que o show de domingo estava atrasado cerca de meia hora, então isso acrescenta”, disse Caplan-Auerbach.

    Sismógrafos comparam atividade sísmica de show da Taylor Swift com touchdown do Seattle Seahawks / Jackie Caplan-Auerbach

    Embora a diferença de magnitude entre “Beast Quake” e “Swift Quake” seja de apenas 0,3, Caplan-Auerbach disse que os swifties derrotaram os torcedores dos Seahawks. “O tremor foi duas vezes mais forte do que ‘Beast Quake’. É absolutamente o dobro.”

    “A principal diferença é a duração do tremor”, explicou Caplan-Auerbach. “Torcer após um touchdown dura alguns segundos, mas acaba diminuindo. É muito mais aleatório do que um show. Para Taylor Swift, coletei cerca de 10 horas de dados em que o ritmo controlava o comportamento. A música, os alto-falantes, a batida. Toda essa energia pode penetrar no solo e sacudi-lo.”

    Enquanto Caplan-Auerbach está animada com a chance de se tornar uma swiftie, ela é motivada principalmente pela oportunidade de desmistificar a ciência.

    “O que eu amo é poder compartilhar que isso é ciência”, disse ela, acrescentando que “não precisa acontecer em um laboratório com um jaleco branco. Observações e experiências cotidianas são ciência.”

    Chloe Melas, da CNN, que assistiu a um dos shows da Taylor em Seattle, compartilhou suas observações e experiências como frequentadora de shows. “Ir ao show da Taylor em Seattle foi diferente de tudo que já experimentei”, disse ela. “Você podia literalmente sentir o chão tremendo sob seus pés. Meus ouvidos ainda estão zumbindo.”

    Até a própria Swift sentiu a energia de seus fãs da costa oeste e agradeceu ao público de Seattle em um post no Instagram na segunda-feira (28) por “todos os aplausos, gritos, pulos, danças e cantos a plenos pulmões”.

    “Esse foi genuinamente um dos meus fins de semana favoritos de todos os tempos”, acrescentou ela.

    Taylor se aproxima do final da fase norte-americana de sua turnê “Eras”, a primeira em cinco anos. Ao longo do caminho, a cantor foi creditada por impulsionar as economias locais e quebrar um recorde de público em Pittsburgh, entre muitos outros feitos.

    A turnê “Eras” segue para Santa Clara, no norte da Califórnia, nesta sexta-feira (28), e continua com seis shows em Los Angeles no próximo mês para encerrar sua turnê nos Estados Unidos. Taylor então vai para o exterior, começando com um show na Cidade do México em 24 de agosto.

    Vídeo — Procon-SP cobra explicação sobre venda de ingressos do show de Taylor Swift

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original