Lenda do cinema francês, Jean-Louis Trintignant morre aos 91 anos

Premiado ator foi um dos principais do movimento francês Nouvelle Vague

Jean-Louis Trintignant participa do Festival de Cannes de 2017
Jean-Louis Trintignant participa do Festival de Cannes de 2017 Stephane Mahe/Reuters (22/05/2017)

Por Benoit Van Overstraeten, da Reuters

Ouvir notícia

O ator francês Jean-Louis Trintignant, cuja carreira foi lançada com a de Brigitte Bardot com o filme de 1956 “E Deus Criou a Mulher”, morreu nesta sexta-feira (17) aos 91 anos, afirmou sua ex-esposa Nadine Trintignant.

“Ele era uma pessoa especial”, disse Nadine à emissora BFM TV.

Trintignant recebeu o prêmio de Melhor Ator no Festival de Cannes de cinema de 1969 pelo filme “Z”, de Costa Gavras, e um prêmio Cesar de Melhor Ator em 2013 pelo filme “Amor” de Michael Haneke.

Com Jean-Pierre Léaud e Jean-Paul Belmond, já falecido, Trintignant foi um dos principais atores do movimento francês Nouvelle Vague.

Ele esteve em mais de 130 filmes, incluindo o vencedor da Palma de Ouro em Cannes em 1966, “Um Homem, Uma Mulher”, filme de Claude Lelouch, também famoso pela trilha sonora de Francis Lai.

Ele passou por uma tragédia pessoal em 2003 após sua filha Marie Trintignant, que também era uma atriz aclamada pela crítica, morrer aos 41 anos ao ser agredida até a morte pelo namorado Bertrand Cantat, líder da banda francesa Noir Désir.

Cantat foi condenado por homicídio culposo e libertado da prisão em 2007.

Mais Recentes da CNN