Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Madonna e fãs discordam sobre “acordo” em caso por show atrasado

    Advogado da cantora afirmou, em audiência, que defesa dos fãs mentiu a juiz sobre possível acordo

    Madonna durante show na praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, Brasil
    Madonna durante show na praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, Brasil 04/05/2024REUTERS/Pilar Olivares

    Por Mike Scarcella, da Reuters

    Madonna, 65, e a gigante da venda de ingressos Live Nation disseram a um juiz norte-americano na segunda-feira (10) que não estão nem perto de chegar a um acordo para resolver uma ação coletiva proposta por fãs que abriram um processo por conta de um atraso no início de um show, acusando um advogado dos autores da ação de tentar induzir o tribunal ao erro.

    O advogado da ícone do pop, Jeff Warshafsky, que também representa a Live Nation, disse em um documento judicial que o advogado dos fãs fez uma declaração “falsa” para o juiz federal Hector Gonzalez, no Brooklyn, na última sexta-feira (7), quando afirmou que havia um acordo no caso. Warshafsky disse que houve negociações, mas nada havia sido finalizado.

    Dois fãs processaram Madonna, a Live National e o Barclay’s Center, no Brooklyn, em janeiro, acusando-os de “exercício arbitrário de propaganda falsa” de um show noturno na arena que começou duas horas depois do horário previsto. Os autores da ação disseram que não teriam comprado os ingressos se soubessem que o show começaria tão tarde.

    O advogado dos autores, Marcus Corwin, que enviou a notificação de acordo, defendeu o documento em uma audiência na segunda-feira. “Eu nunca registraria nada que não fosse factualmente correto”, disse. Ele declarou que acreditava, com base em comunicações anteriores, que um acordo havia sido firmado.

    Warshafsky disse na audiência que Corwin está travando uma “campanha de assédio” com o objetivo de “extorquir um acordo lucrativo, forçando os réus a pagar honorários legais desnecessários”.

    O juiz rejeitou a notificação e cobrou que os advogados trabalhem para chegar a um acordo. “Está longe de haver um”, disse Gonzalez. “Eu realmente acho que esse tipo de negociação, de envolver o tribunal, não é algo que eu aprecie”, afirmou o juiz.

    Corwin e Warshafsky não responderam a pedidos de comentários em um primeiro momento.

    Na audiência, Corwin disse que as negociações por um acordo estavam focadas não apenas em resolver o processo de Nova York, mas “outros 98 casos” e uma ação coletiva em um tribunal federal de Washington D.C.

    “Madonna tem um longo histórico de chegar e começar seus shows com atraso, às vezes várias horas depois”, diz o processo do Brooklyn.

    Corwin disse ao juiz que, como parte das negociações do acordo, Madonna e os outros réus estão tentando impedir sua firma de apresentar mais queixas contra eles. “Isso é algo com o qual não posso concordar e meus clientes não podem concordar”, disse Corwin.

    Tópicos

    Tópicos