Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    #CNNPop

    Taylor Swift revela significado de músicas do novo álbum

    Cantora divulgou "The Tortured Poets Department", seu novo álbum, nesta sexta-feira (19); projeto tem 31 músicas

    Taylor Swift realiza último show da turnê "The Eras Tour" na Singapura
    Taylor Swift realiza último show da turnê "The Eras Tour" na Singapura Ashok Kumar/TAS24/Getty Images for TAS Rights Management

    Nicoly Bastosda CNN

    São Paulo

    Taylor Swift divulgou, na madrugada desta sexta-feira (19), seu 11º álbum de estúdio. Intitulado “The Tortured Poets Department”, o disco contém 31 faixas que já estão servindo como base de novas teorias dos swifties (como são apelidados os fãs da estrela) sobre a vida da cantora.

    Ao iHeart Radio e à Amazon Music, Taylor Swift teceu comentários sobre algumas das músicas presentes no novo disco. “Fortnight”, “Florida!!!”, “Down Bad”, “Clara Bow”, “Who’s Afraid of Little Old Me?” e “My Boy Only Breaks His Favorite Toys” receberam explicações sobre as letras. Confira!

    Taylor Swift revela significado de músicas do “The Tortured Poets Department”

    • “Fortnight”

    “Fortnight é uma música que eu acho que realmente exibe muitos dos temas comuns que percorrem todo este álbum. Um dos quais é o fatalismo. Saudade, sonhos perdidos. Eu acho que é um álbum muito fatalista, pois há muitos versos dramáticos sobre a vida ou a morte e “Eu te amo, isso está arruinando minha vida”, como se essas coisas fossem muito hiperbólicas e dramáticas de se dizer”, comentou ela.

    “É sobre um tipo – você sabe – dramático, artístico e trágico de amor e perda. E ‘Fortnight’, eu sempre imaginei que se estabaleceu em um tipo de cidade americana onde o sonho americano que você pensava que aconteceria [com você] não aconteceu. Tipo – você acabou não ficando com a pessoa que amava, e agora você tem que conviver com isso todos os dias. Me perguntando o que teria acontecido… e esse é um conceito bastante trágico, na verdade. Eu escrevi dessa perspectiva”, complementou Taylor.

    • “Florida!!!”

    “Florida é uma música que escrevi com Florence + The Machine e acho que estava tendo essa ideia do que acontece quando sua vida não se encaixa ou você está cercado por consequências severas, julgamentos e circunstâncias de suas escolhas. Você só quer escapar de tudo que já conheceu. Existe algum lugar onde você poderia ir? Estou sempre observando pessoas que cometem crimes e imediatamente fogem da cidade e vão para a Flórida”, começou a cantora.

    “Eles tentam se reinventar, ter uma nova identidade, se misturar e acho que quando você passa por um desgosto, há uma parte de você que pensa ‘Quero um novo nome, quero uma nova vida, não quero que ninguém saiba onde eu já estive’ e isso foi mais ou menos o que aconteceu. O ponto de partida para onde você vai se reinventar e se misturar. Flórida!”, completou.

    • “Down Bad”

    “Muitas músicas do TTPD tratam da ideia de desgosto ou perda como uma metáfora de outra coisa. A metáfora em ‘Down Bad’ é que eu estava comparando a ideia de ser, você sabe, como um amor bombardeado onde alguém abala seu mundo e te deslumbra e então te abandona como uma abdução alienígena onde você foi abduzido por alienígenas, mas você queria isso”, disse Taylor.

    “Você fica tipo ‘Espere, não. Onde você está indo? Gostei de lá, foi estranho mas foi legal, volte.’ E então a garota na música se sentiu como ‘Acabei de ser exposta a uma galáxia e um universo totalmente diferente e não sabia que isso era possível. Como você pode simplesmente me colocar de volta onde eu estava antes?’”, acrescentou a estrela.

    • “Clara Bow”

    “Eu costumava contatar gravadoras tentando conseguir um contrato quando era criança. E eles diziam, ‘sabe, você nos lembra’ e então nomeavam uma artista, e diziam algo ‘depreciativo’ sobre ela, ‘mas você é isso, você é muito melhor desta ou daquela maneira.’ E é assim que ensinamos as mulheres a se verem, como se você pudesse ser a nova substituta dessa mulher que fez algo grande antes de você”, disse ela.

    “Escolhi mulheres que fizeram grandes coisas no passado e foram arquétipos de grandeza na indústria do entretenimento. Clara Bow foi a primeira ‘it girl’. Stevie Nicks é um ícone e um exemplo incrível para quem quer escrever e fazer música.”

    • “Who’s Afraid of Little Old Me?”

    “Escrevi essa sozinha, sentada no piano em um daqueles momentos em que me senti amarga por todas as coisas que fazemos aos nossos artistas como uma sociedade e como um grupo de pessoas, como cultura.”

    “Há muito sobre esse conceito específico em ‘The Tortured Poets Department’”, acrescentou ela. “O que fazemos com nossos escritores, nossos artistas? Nós os colocamos no inferno. Observamos o que eles criam e depois julgamos. Adoramos ver artistas sofrendo, muitas vezes a ponto de pensar que às vezes, como sociedade, provocamos essa dor e apenas observamos o que acontece.”

    • “My Boy Only Breaks His Favorite Toys”

    “‘My Boy Only Breaks His Favorite Toys’ é uma música que escrevi sozinha, e é uma metáfora da perspectiva de um brinquedo de criança, de ser o brinquedo favorito de alguém, até que alguém quebre você, e então não queira brincar mais com você, o que é, você sabe, quantos de nós estamos
    relacionamentos, onde somos tão valorizados por uma pessoa no início, e então, de repente, eles nos quebram, ou nos desvalorizam em suas mentes”, ressaltou Taylor.

    “Então é tipo uma música sobre negação, na verdade”, concluiu.

     

    Taylor Swift: álbum novo é faca disfarçada de canção de ninar