O futuro do tênis brasileiro entra em quadra da Copa Davis

Equipe que participa do renomado torneio é formada quase toda por jogadores ainda em início de carreira e com grande potencial

Pedro Borg, da CNN Brasil, em São Paulo
10 de março de 2020 às 23:00 | Atualizado 11 de março de 2020 às 07:47
Thiago Wild, Jaime Oncins (capitão), Thiago Monteiro, Marcelo Demoliner, Felipe Meligeni e João Menezes: equipe brasileira na Copa Davis (05.mar.2020)
Foto: SMP Images/ Copa Davis

O último Grand Slam de simples conquistado pelo Brasil, em 2001, marcou o fim de uma era de ouro do esporte no Brasil. Entre os atletas de destaque daquela época estão o maior tenista brasileiro, Guga, além de Fernando Meligeni, Jaime Oncins e André Sá.

Desde então, o país tem dificuldade em encontrar novos talentos. Thomaz Bellucci era tido como promessa, porém não correspondeu às expectativas. Mais recentemente houve o caso João Souza, o Feijão, ex-número um do Brasil que foi banido do esporte após escândalo de manipulação de resultados.

A nova geração de tenistas brasileiros, porém, busca reprisar a glória do tempo de Guga. Conheça as promessas que participarão da Copa Davis:

Thiago Wild

Thiago Wild durante partida contra John Millman da Austrália, na Copa Davis (05.mar.2020)
Foto: SMP Images / Copa Davis

Idade: 20 anos

Posição no ranking ATP: 114

Feitos: vencedor do US Open juvenil em 2018, vencedor do ATP 250 de Santiago em 2020 e do Challenger de Guayaquil em 2019

Wild é a maior promessa do tênis brasileiro no momento. 2020 mal começou e o jogador superou Guga ao se tornar o mais jovem brasileiro a conquistar um torneio da ATP, ao vencer o ATP 250 de Santiago.

Felipe Meligeni

Felipe Meligeni durante partida contra a Austrália, na Copa Davis (06.mar.2020)
Foto: SMP Images/ Copa Davis

Idade: 22 anos

Posição no ranking ATP: 134

Feitos: ótimo desempenho no Rio Open 2020

O sobrenome é conhecido, já que Felipe é sobrinho de Fernando Meligeni, o Fininho. O jogador vem crescendo no cenário tanto na simples quanto nas duplas.

Perdeu as semifinais do Challenger de Punta Del Leste para o conterrâneo Thiago Monteiro, e foi bem no Rio Open: realizou grande partida contra Dominic Thiem, número 4 do mundo, mas perdeu por 2 sets a 1 (parciais de 2x6/6x4/1x6), sofrendo com câimbras no último set.

Nas duplas foi mais longe, ao alcançar as semifinais junto com Thiago Monteiro, perdendo para a dupla Marcel Granollers e Horacio Zeballos, que viriam a ser campeões.

João Menezes

Idade: 23 anos

Posição no ranking ATP: 184

Feitos: venceu o Challenger de Samarkand em 2019, e foi campeão do Pan-Americano de Lima 2019

João chegou a treinar na Espanha em 2018 na academia 4Slam, porém, após crise depressiva, voltou ao Brasil. A volta fez bem ao jovem, que no ano seguinte venceu seu primeiro challenger e ganhou a medalha de ouro dos Jogos Pan-Americanos de Lima.

O feito praticamente o garantiu nas Olimpíadas de Tóquio 2020, já que agora seu único requisito para participar da competição é estar entre os 300 melhores do mundo.

Thiago Monteiro

Thiago Monteiro durante partida da Copa Davis, contra a Austrália (05.mar.2020)
Foto: SMP Images/ Copa Davis

Idade: 25 anos

Posição no ranking ATP: 82

Feitos: Challenger de Aix en Provence 2016, Challenger de Punta Del Leste 2019 e 2020, Challenger de Braunschweig 2019, Challenger de Lima 2019

O número 1 do País é também o “mais velho” da nova geração. Vem de um excelente 2019, ano em que voltou a vencer torneios ATP Challenger. Em 2017 chegou às quartas de final do Rio Open e do Torneio de Hamburgo de 2018, ambas competições de nível ATP 500.