Sindicato dos Atletas de Futebol do RJ é contrário à volta dos jogos


Agência Brasil
18 de junho de 2020 às 12:49
Presidente da SAFERJ, Alfredo Sampaio.

Presidente do Sindicato dos Atletas de Futebol do RJ, Alfredo Sampaio

Foto: Divulgação SAFERJ

O Sindicato dos Atletas de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (SAFERJ) emitiu nota na noite desta quarta-feira (17) em que se posiciona contrário à volta imediata do futebol no Rio de Janeiro. Com o apoio da maioria dos clubes, a Federação de Futebol (FERJ) confirmou para hoje (18), às 21h, a partida entre Flamengo e Bangu, no Maracanã, pela quarta rodada da Taça Rio (segundo turno). Fluminense e Botafogo também são contrários a esta decisão

A nota, assinada pelo presidente Alfredo Sampaio, revela que a entidade votou contra a retomada dos jogos nesta quinta-feira (18) na reunião do Conselho Arbitral da FERJ, em 16 de junho. A publicação explica que, apesar de a decisão estar de acordo com as autoridades estaduais e municipais, o período entre a liberação dos treinamentos na cidade até a volta dos jogos é considerado curto.

“O Sindicato, mesmo entendendo que o momento de saúde ainda requer cuidados e prevenção, reconhece que a decisão dos clubes e da FERJ está amparada pelo posicionamento das autoridades governamentais. Assim, o SAFERJ reitera o seu posicionamento anterior de concordar com o retorno do futebol. Importante que fique claro que o SAFERJ está honrando com sua palavra e mantendo sua posição quanto ao retorno do futebol, e que votou contrário somente ao reinício dos jogos nas datas definidas, por entender que os atletas estariam melhores preparados se pudessem ter um período maior de treinos, evitando assim possíveis lesões, além de melhorar sua capacidade física e técnica, o que aumentaria seu desempenho em campo.”

Leia também:

Ferj avalia adiar jogos do Fluminense e Botafogo no Campeonato Carioca

Câmara aprova a suspensão de dívidas de times de futebol durante a pandemia

São Paulo autoriza retorno dos treinos de times de futebol a partir de julho

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, liberou as atividades em centros de treinamento desde o dia 2 de junho. No total, foram 17 dias de treinos até a volta dos jogos, suspensos dia 16 de março devido à pandemia do novo coronavírus. Antes disso, os jogadores ficaram 78 dias se preparando individualmente em suas casas.

A posição do SAFERJ está de acordo com a opinião emitida pelo preparador físico Carlos Alberto Lancetta, com passagens por América, Botafogo, Flamengo, Vasco e Seleção Brasileira. Em entrevista no início de maio, quando ainda não havia uma definição sobre o retorno das partidas, Lancetta dissera que “o ideal é que se faça de 45 a 60 dias o período de preparação, como aconteceu o intervalo de paralisação. Isso é para voltar ao nível inicial de forma física, não ao nível máximo.”