Clube alemão planeja testes de Covid-19 para torcedores ocuparem estádio

"Nossa experiência no estádio não funciona com distanciamento social", disse o presidente do Union Berlin

Reuters
11 de julho de 2020 às 16:26

Torcedores no estádio do Union Berlin em jogo disputado antes da pandemia de coronavírus

Foto: Reprodução/Union Berlin

O Union Berlin, clube de futebol da primeira divisão alemã, está tão ansioso para ver seu estádio cheio de torcedores mais uma vez que está disposto a pagar por exames de coronavírus para todos os funcionários e 22.012 detentores de ingressos da temporada, para que possam ocupar as arquibancadas com segurança.

A maioria dos estádios do mundo está vazia há meses, desde que o novo coronavírus forçou regulamentações de distanciamento que impedem a reunião de multidões.

A Bundesliga, primeira divisão da Alemanha, retomou as partidas em maio, mas com regras rígidas de distanciamento que restringem o comparecimento nos estádios a apenas algumas autoridades, repórteres e operadores de câmeras.

Leia também:
Tóquio 2020 diz que 80% das instalações estão garantidas para jogos olímpicos
Liga dos Campeões define confrontos de mata-mata

Mas o Union Berlin, que já foi o principal clube de Berlim oriental comunista e agora rival do Hertha Berlim, do lado ocidental, está planejando medidas drásticas para ver seu estádio Old Forestry ocupado novamente.

"Nossa experiência no estádio não funciona com distanciamento social, e se não podemos cantar e gritar, não é o Union", disse o presidente do clube, Dirk Zingler, em comunicado na noite de sexta-feira.

"Implementar esse plano é um enorme desafio organizacional e econômico", acrescentou o clube. "Nós, como clube de futebol, arcaremos com os custos de implementar as medidas necessárias".

Os testes de coronavírus custavam cerca de 40 dólares em abril, mas os preços estão caindo e as quantidades disponíveis aumentando à medida que o mundo enfrenta a pandemia. O plano ainda não foi aprovado pelas autoridades da cidade.