Presidente do Corinthians admite endividamento, mas nega que clube esteja falido

Andrés Sanchez afirma que agora é a hora de 'fazer coisa mais sensata, sem envolver paixão e política, nas contas do clube'

Da CNN em São Paulo
18 de julho de 2020 às 00:09 | Atualizado 18 de julho de 2020 às 00:14

O presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, admitiu nesta sexta-feira (17) que o clube gastou demais e está com problemas financeiros. O dirigente, no entanto, contemporizou e negou que a situação chegue a um nível de gravidade que o clube esteja falido ou tenha até sua continuidade ameaçada.

"Lógico que a dívida é problema, lógico que o déficit é problema, mas não é o problema que alguns fazem como se o Corinthians fosse fechar amanhã, (como se) o Corinthians tivesse quebrado, (como se) o Corinthians faliu, que isso não é verdade", disse.

Assista e leia também:

Flamengo confirma saída de Jorge Jesus para o Benfica

Dezesseis clubes da Série A lançam manifesto em apoio à MP dos direitos de TV

Andrés disse que "assumia seu erro" de ter gasto de forma acelerada desde que reassumiu a presidência do clube, em fevereiro de 2018. "Eu assumo meu erro, gastei mais do que revia", disse o presidente corintiano.

Ele afirma que agora é a hora de "fazer coisa mais sensata, sem envolver paixão e política, nas contas do clube". Andrés Sánchez prometeu que até o dia 20 de novembro o clube resolverá o problema da dívida relacionada com a construção da Arena Corinthians. O clube tem um passivo de R$ 165 milhões.

(Edição: Paulo Toledo Piza).