Em corrida marcada por acidentes, Lewis Hamilton vence o GP da Toscana


Vital Neto*, da CNN, em São Paulo
13 de setembro de 2020 às 13:20 | Atualizado 14 de setembro de 2020 às 15:23

Lewis Hamilton foi o vencedor do GP da Toscana, disputado no circuito de Mugello, na Itália, neste domingo (13). A prova marcou a comemoração dos 1000 GPs da Ferrari na Fórmula 1. Valtteri Bottas chegou em segundo e Alexander Albon fechou o pódio, primeiro do tailandês na categoria. Com a vitória, o piloto da Mercedes chegou a 90 triunfos na carreira.

Na largada, Bottas passou Hamilton e assumiu a liderança. Charles Leclerc pulou de quinto para terceiro e Max Verstappen, que ficou para trás, se envolveu em um acidente com Kimi Raikkonen, Pierre Gasly e Romain Grosjean, o que causou uma bandeira vermelha que interrompeu a corrida por quase 30 minutos.

Leia também:

F1: Sebastian Vettel assina com a equipe Aston Martin para 2021
'Sem Espaço para Racismo': Premier League terá novo emblema nas camisas

lewis hamilton

 

Foto: Francois Lenoir/ Reuters

A tentativa de relargada foi interrompida por outro acidente que causou o abandono de mais quatro carros. Quando os pilotos voltaram a correr, Hamilton deu o troco no companheiro de equipe e reassumiu a liderança da prova.

Na volta 44, Lance Stroll, da Racing Point, perdeu o controle do carro e colidiu contra a barreira de pneus. O impacto destruiu as proteções e a corrida foi novamente interrompida para que fossem feitos os reparos necessários.

Bottas tentou passar Hamilton novamente na relargada, mas não conseguiu. O hexacampeão segurou o companheiro e seguiu na ponta até a bandeirada. Para chegar em terceiro, Albon precisou ultrapassar Sérgio Pérez e Daniel Ricciardo.

Após a corrida, o piloto da Red Bull agradeceu a equipe por confiar em seu talento e declarou: "Estou realmente feliz, agora posso respirar, a sensação de estar no pódio é fantástica. A velocidade no segundo setor da pista é brutal, você sente isso".

Os carros da Ferrari, pilotados por Leclerc e Sebastian Vettel, chegaram na oitava e décima posições respectivamente, garantindo cinco pontos para a equipe italiana na etapa comemorativa, disputada em seu próprio autódromo.

Hamilton ainda fez a volta mais rápida da corrida e somou um ponto extra. Com a 90ª vitória, o britânico está agora a duas de superar o recorde de Michael Schumacher.

Depois da corrida, o britânico comentou: "Ainda estou meio atordoado, foram três corridas em um só dia", afirmou, se referindo às relargadas. "Essa pista é fenomenal e manter Valtteri atrás não foi fácil. Todas aquelas relargadas, o foco necessário. Foi muito, muito difícil".

Já conhecido por suas manifestações contra o racismo, Hamilton utilizou no pódio uma camisa com os dizeres: "prendam os policiais que mataram Breonna Taylor". Ela foi morta a tiros por policiais do Departamento de Polícia Metropolitana de Louisville em 13 de março de 2020.

*Sob supervisão de Matheus Prado e Luiz Raatz