Estádios de futebol não receberão torcida nos próximos 30 a 40 dias, diz Feldman


Murillo Ferrari, da CNN, em São Paulo
27 de setembro de 2020 às 10:41 | Atualizado 27 de setembro de 2020 às 15:38

As partidas de futebol no Campeonato Brasileiro devem continuar sem a presença de públicos por, pelo menos, mais 30 ou 40 dias, disse neste sábado (27) o secretário-geral da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Walter Feldman.

“Em relação à torcida, a decisão é deixar para frente. Vamos reavaliar. Havia uma ideia original de volta da torcida no returno, em 6 de novembro. Nos próximos 30, 40 dias, [não há] nenhuma possibilidade de torcida ter participação efetiva em jogos de futebol”, disse Feldman, em entrevista à CNN.

O comentário do secretário-geral reflete a decisão do dia anterior tomada pela CBF e pelos clubes da Série A do Campeonato Brasileiro – o Flamengo foi o único a não participar da reunião – de manter o veto à presença de torcedores nos estádios durante a realização do Brasileirão 2020.

“A CBF, como instituição que coordena o futebol brasileiro começou a discutir com os protagonistas do futebol/epidemia. Consultou o Ministério da Saúde, que deu parecer favorável se protocolo for muito rígido e estabeleceu limite de 30% [da capacidade dos estádios]”, disse.

Assista e leia também:
CBF e Clubes da Série A mantém jogos do Brasileirão sem torcedores
Sem intervalo e com 18 meses seguidos de jogos: CBF divulga calendário de 2021
Feldman diz que CBF não tem margem de datas para adiar jogos do Brasileirão
Chicão sobre surto de Covid-19 no Flamengo: 'Está colhendo o que plantou'

No entanto, ao ouvir os clubes a entidade resolveu adiar os planos de permitir a volta dos torcedores. “Os clubes, em duas reuniões, se manifestaram contra porque as autoridades de saúde, tanto estadual, quanto municipal, majoritariamente acreditam que é melhor esperar um pouco mais.”

De acordo com Feldman, a próxima reunião entre CBF e os clubes deve acontecer daqui 15 dias, quando será reavaliada a curva da epidemia, tanto no país quanto no esporte.

Adiamento de jogos

O secretário-geral afirmou também que a entidade responsável pelo futebol brasileiro não tem margem de datas para reagendar jogos do Campeonato Brasileiro suspensos por causa de infecções pelo novo coronavírus.

“Temos sido muito rígidos porque se suspendermos partidas vai comprometer a realização total do campeonato”, disse.

Estádio do Maracanã

CBF e clubes da Série A do Brasileirão decidiram manter proibição de torcedores nos estádios

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

A questão do adiamento de partidas entrou no centro do debate esportivo brasileiro depois de o Flamengo conseguir liminar, na Justiça comum, para suspender a partida contra o Palmeiras depois de dezenas de atletas e funcionários testarem positivo para Covid-19.

Em agosto, quando a CBF divulgou o calendário do futebol brasileiro para 2021, chamou atenção o intervalo de apenas quatro dias entre o fim da temporada 2020 e o início dos campeonatos estaduais de 2021 – o que significa que não haverá período para a pré-temporada.

O curto intervalo foi a saída encontrada pela CBF para reorganizar o futebol nacional no próximo ano e evitar impactos no calendário de 2022, ano da próxima Copa do Mundo.