Cláudio Castro veta mudança de nome do Maracanã

Decisão foi publicada no Diário Oficial do Rio de Janeiro nesta quinta-feira

Stéfano Salles, da CNN, no Rio de Janeiro
08 de abril de 2021 às 09:11 | Atualizado 08 de abril de 2021 às 09:16

O Maracanã não vai mais mudar de nome. O governador interino do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PSC), vetou o projeto que pretendia fazer com que o Estádio Jornalista Mário Filho fosse rebatizado como Edson Arantes do Nascimento – Rei Pelé. A decisão foi publicada no Diário Oficial do Estado, nesta quinta-feira (8). 

Em suas justificativas, Castro destacou que atendia à solicitação do autor do projeto, o presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), deputado André Ceciliano (PT). Na terça-feira, a CNN já tinha informado que o parlamentar desistiu do projeto. 

Na ocasião, a desistência foi comunicada em reunião do Colégio de Líderes da assembleia. A proposta foi sido aprovada em votação simbólica ocorrida na casa, no dia nove de março. Na ocasião, apenas a bancada do PSOL registrou voto contrário. 

Pela proposta, ''Jornalista Mário Filho'' passaria a ser nome de todo o complexo esportivo, que engloba, além do estádio sede de duas finais de Copa do Mundo (1950 e 2014), o Parque Aquático Júlio Delamare, o Ginásio Gilberto Cardoso e o Estádio de Atletismo Célio de Barros.

Enquanto o projeto tramitava na Alerj, a proposta recebia muitas críticas da sociedade civil. Clubes se posicionaram contrários à mudança, em defesa da preservação da história do esporte no estado. Familiares de Mário Filho, que era irmão do dramaturgo Nelson Rodrigues, também se posicionaram contra a ideia, e houve mobilização nas redes sociais para que Castro vetasse a proposta.