Colômbia deixa de ser sede da Copa América; torneio deve ser apenas na Argentina

A entidade informou que anunciará "nos próximos dias" a localização dos jogos previstos para acontecerem no país

Renato Barcellos, da CNN, em São Paulo
20 de maio de 2021 às 21:54 | Atualizado 20 de maio de 2021 às 23:33

 

A Conmebol anunciou nesta quinta-feira (20) que a Copa América 2021 não será mais realizada na Colômbia, mas manteve o evento na Argentina. Em comunicado, a entidade assegurou a realização do evento e informou que anunciará "nos próximos dias" a localização dos jogos previstos para acontecerem no país.

Mais cedo, o ministro dos Esportes da Colômbia, Ernesto Lucena, pediu à Conmebol que torneio fosse adiado para novembro para que os torcedores pudessem frequentar os estádios. A entidade, no entanto, disse que a transferência seria impossível por "razões relacionadas ao calendário internacional de competições e à logística do torneio".

Na última terça-feira (18), o presidente da Argentina, Alberto Fernández, já havia proposto que seu país organizasse sozinho a Copa América, apontando a crise política, econômica e social que atravessa a Colômbia.

Ainda no comunicado, a Conmebol agradeceu o "entusiasmo e o compromisso" do presidente colombiano, Iván Duque, e do presidente da Federação Colombiana de Futebol, Ramón Jesurún.

"Certamente no futuro surgirão novos projetos conjuntos para o crescimento do futebol colombiano e sul-americano", diz a nota.

A previsão é que o torneio comece no dia 13 de junho, com o confronto entre Argentina e Chile, no Monumental de Núñez, em Buenos Aires. No mesmo dia, está previsto o jogo entre Paraguai e Bolívia, no Malvinas Argentinas, em Mendoza.

A Seleção Brasileira estava prevista para estrear contra a seleção venezuelana, no estádio Atanasio Girardot, em Medellín, na Colômbia. No entanto, com o anúncio desta quinta, precisará aguardar para saber onde fará seu primeiro jogo.

O Brasil é o atual campeão do torneio e contabiliza 9 vitórias na história da competição.

Com informações da Reuters

Alejandro Domínguez, presidente da Conmebol, que adiou a Copa América para 2021
Foto: Luisa Gonzalez - 03.dez.2019/ REUTERS