Ideia de o Brasil sediar a Copa América é inadequada, diz pesquisador da Fiocruz

Em entrevista à CNN, o infectologista Julio Croda afirmou que o torneio pode trazer riscos para o país

Produzido por Elis Franco, da CNN, em São Paulo
31 de maio de 2021 às 22:13

O infectologista e pesquisador da Fiocruz Julio Croda classificou, em entrevista à CNN nesta segunda-feira (31), como "totalmente inadequada" a possibilidade de o Brasil ser a sede da Copa América, principalmente pela possível disseminação de novas cepas da Covid-19.

"O risco de novas variantes sempre existe", afirmou Croda. "Enquanto fazemos a restrição nos aeroportos tentando impedir a chegada da nova cepa, promovemos um evento de aglomeração de massa. Mesmo que não nos estádios, o evento vai movimentar a cidade, bares, restaurantes e transporte público", analisou.

Troca de sede

A Conmebol confirmou o Brasil como sede da Copa América nesta segunda-feira. O torneio deve começar no próximo dia 13 e terminar em 10 de julho. O país foi escolhido no lugar da Argentina e da Colômbia.

A Copa América foi cancelada na Colômbia por causa de protestos e, na Argentina, por causa da pandemia

O ministro da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos, disse nesta segunda-feira (31)  que não há "nada certo" sobre a confirmação da Conmebol de que o país receberá o torneio.

Para o infectologista, além do risco de aglomerações e de uma maior circulação de pessoas em um momento crítico da pandemia no país, a chance de a competição ser realizada no Brasil reflete uma inadequação comunicativa, ao passar a imagem que a situação da pandemia está normalizada.

"Vivemos um momento no Brasil com bastante dificuldade de fazer medidas restritivas, os municípios estão colapsando, as pessoas estão morrendo na fila de leitos de UTI e passamos uma normalidade de que está tudo bem." 

Estudo em Serrana

Outro ponto abordado por Croda em sua entrevista à CNN foi o sucesso do estudo de vacinação conduzido pelo Instituto Butantan na cidade de Serrana, em São Paulo, que resultou em 95% de queda no número de mortes.

"O grande feito do projeto foi imunizar rapidamente toda uma população de uma cidade. Isso gera essa imunidade indireta, que não há como medir individualmente, mas que traz benefícios para todos, independentemente da efetividade da vacina." 

O pesquisador da Fiocruz Julio Croda falou à CNN sobre os riscos que o Brasil corre se o país for a sede da Copa América (31.mai.2021)
Foto: Reprodução / CNN