Prefeitura do Rio estuda presença de público na Libertadores

Conmebol autorizou torcedores nos estádios, desde que em concordância com as autoridades locais; aval dependerá do cenário epidemiológico

Helena Vieira e Stefano Salles, da CNN, no Rio de Janeiro
13 de julho de 2021 às 07:05 | Atualizado 13 de julho de 2021 às 07:44

O secretário municipal de saúde do Rio de Janeiro, Daniel Soranz, disse à CNN que avalia a possibilidade da presença de público nos jogos da Libertadores que forem realizados na cidade.

A Confederação Sulamericana de Futebol (Conmebol) autorizou a frequência de torcedores nos estádios onde houver partidas da Taça Libertadores da América e da Sul-Americana, desde que as autoridades locais concordem. 

Segundo Soranz, isso vai depender do cenário epidemiológico e do compromisso da confederação em seguir os protocolos e fazer os testes nos torcedores. “Tivemos uma experiência desagradável no final da Copa América, em que multamos a CBF por conta do descumprimento dos protocolos. Ainda estamos analisando o pedido”.   

Neste domingo (11), um dia após a final da Copa América, a Conmebol divulgou comunicado autorizando a presença de público nos jogos da Libertadores, a partir das oitavas de final, que começam nesta terça-feira (13).

O primeiro jogo desta etapa, no Rio de Janeiro, será no Maracanã, na terça-feira (20), entre Fluminense e Cerro Porteño, do Paraguai.  

Na final da Copa América, a Conmebol pediu à prefeitura do Rio autorização para que a decisão recebesse 50% da capacidade de público do Maracanã, o que foi rejeitado pela secretaria municipal de Saúde. 

Em um novo pedido analisado, o município liberou apenas 10% da lotação do estádio, o equivalente a 7,2 mil pessoas.

Assim, a entidade autorizou que a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e a Associação do Futebol Argentino (AFA) pudessem credenciar 2,2 mil pessoas cada uma, apresentando documentos e também testes de RT-PCR feitos até 48 horas antes da decisão. 

Como a CNN divulgou, a prefeitura do Rio multou a CBF em R$ 54 mil por descumprimento dos protocolos sanitários no jogo da final da Copa América. Na ocasião, os agentes da secretaria municipal de saúde flagraram aglomeração nos acessos ao estádio, além de pessoas sem máscara e desrespeito ao distanciamento social.

O secretário confirmou também que investiga os testes PCR feitos pelos torcedores e que, se for constatada alguma irregularidade, tomará medidas. 

Procurados, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e o Ministério da Saúde ainda não se manifestaram sobre a decisão da Conmebol. Flamengo e Fluminense também não se pronunciaram ainda.