Atletas devem testar negativo 6 horas antes de competição, diz CEO da Olimpíada

Regra para prevenção da Covid-19 nos Jogos de Tóquio determina que pessoas consideradas contato próximo de caso confirmado devem fazer testes diários

Murillo Ferrari, da CNN, em São Paulo
20 de julho de 2021 às 13:34 | Atualizado 20 de julho de 2021 às 13:37
Nadadora da Austrália faz teste PCR para Covid-19 antes de embarcar para Tóquio
Nadadora da Austrália faz teste PCR para Covid-19 antes de embarcar para Tóquio
Foto: Delly Carr - 14.jul.2021/Swimming Australia via Getty Images

O chefe do comitê organizador da Olimpíada de Tóquio afirmou nesta terça-feira (20) que os atletas que testarem negativo para o novo coronavírus 6 horas antes das competições serão considerados aptos para as disputas.

Em entrevista coletiva, Toshiro Muto disse também que está de olho nos números de infecções e mantém discussões com os organizadores, não descartando a possibilidade de a competição ser cancelada na última hora.

As regras da Olimpíada para a prevenção contra Covid-19 ordenam que, para competir, alguém considerado contato próximo de um caso confirmado da doença precisa entregar testes diários de PCR negativo – um deles, 6 horas antes da competição, como ressaltado por Muto. 

Além disso, os atletas precisam ser checados por um especialista e receber permissão da sua federação esportiva internacional.

Primeiro teste para regra

O primeiro grande teste de como a Olimpíada pode ser realizada em meio a uma pandemia deve acontecer ainda esta semana, no torneio de futebol masculino, quando o Japão enfrentar a África do Sul – que terá dificuldades para escalar 11 jogadores devido ao novo coronavírus.

A equipe da África do Sul foi severamente prejudicada por infecções por Covid-19 e por cortes antes de partir para os Jogos. Depois, recebeu a notícia de que dois dos seus jogadores e um analista de vídeo haviam testado positivo ao chegarem a Tóquio.

Ao todo, 21 membros da delegação foram considerados contatos próximos, disseram os organizadores na noite de segunda-feira (19), o que deixa a África do Sul na corda bamba para o jogo de quinta-feira (22) contra os anfitriões. Esse número foi posteriormente reduzido para 18.

As regras da Fifa estipulam que um time precisa ter 13 jogadores disponíveis para a partida ser realizada. O técnico da África do Sul, David Notoane, afirmou nesta terça-feira (20) que os testes diários significam que ele não tem ideia de quem poderá ir a campo contra os japoneses.

Michiko Dohi, autoridade para a Covid-19 trabalhando com o Comitê Olímpico Japonês, disse que com os passos adequados e rígidos sendo tomados, a partida pode ser realizada com segurança.

Imperador se encontrará com presidente do COI

O imperador Naruhito, do Japão, se encontrará com o chefe do Comitê Olímpico Internacional, Thomas Bach, na quinta-feira (22), um dia antes do início das Olimpíadas de 2020, informou a agência de notícias Kyodo.

A mídia japonesa disse que Naruhito, que falou sobre suas memórias das Olimpíadas de 1964 sediadas em Tóquio, comparecerá à cerimônia de abertura na sexta-feira (23).

Já Bach afirmou os organizadores nunca poderiam ter imaginado os "desafios sem precedentes" de trazer o evento global a Tóquio, elogiando os "esforços heroicos" de equipes médicas e voluntários em todo o mundo em meio à pandemia.

(Com informações da Reuters)