Atlético-MG goleia o Athletico-PR em primeiro jogo da final da Copa do Brasil

Hulk, Keno e Vargas (duas vezes) marcaram na fácil vitória por 4 a 0 no Mineirão

Hulk comemora primeiro gol do Atlético Mineiro, na goleada diante do Athletico Paranaense, na primeira partida da final da Copa do Brasil, no Mineirão
Hulk comemora primeiro gol do Atlético Mineiro, na goleada diante do Athletico Paranaense, na primeira partida da final da Copa do Brasil, no Mineirão GILSON JUNIO/W9 PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Leandro Silveiracolaboração para a CNN

Ouvir notícia

O Atlético-MG está muito próximo de faturar o seu segundo título da Copa do Brasil. Neste domingo, uma semana após comemorar a conquista do Brasileirão e levantar a taça, goleou o Athletico-PR por 4 a 0 no Mineirão e abriu ótima vantagem para conquistar a taça. Hulk, Keno e Eduardo Vargas, duas vezes, marcaram os gols da partida.

O placar da decisão é inédito na história das finais da Copa do Brasil, iniciada em 1989. Desde então, nunca um time havia triunfado por 4 gols de vantagem em um jogo da decisão. E veio logo diante de um adversário que ainda não tinha perdido nesta edição do torneio, mas foi dominado por um Atlético-MG, com atuação brilhante. Intenso e objetivo, empolgou o seu torcedor, que já soltou o grito de bicampeão.

Com essa larga diferença, o Atlético-MG pode até perder por três gols de diferença na próxima quarta-feira, na Arena da Baixada, para vencer a Copa do Brasil e ser campeão nacional pela segunda vez em uma temporada praticamente perfeita, em que também faturou o Campeonato Mineiro.

Já o Athletico-PR terá uma tarefa complicada para conquistar a Copa do Brasil. O time paranaense precisará ganhar por 5 gols de diferença na decisão para levar a taça ou triunfar por 4 gols de vantagem para forçar a disputa de pênaltis na finalíssima.

Não será fácil para uma equipe que foi apática neste domingo, sendo dominada no Mineirão pelo Atlético-MG, que abriu 2 a 0 no primeiro tempo, com gols marcados por Hulk e Keno, dois dos heróis da conquista do Brasileirão. E sacramentou a vitória com os gols de Vargas, que substituiu o lesionado Diego Costa na etapa inicial, no segundo tempo.

A decisão da Copa do Brasil opunha dois campeões: o alvinegro mineiro, que nesta temporada venceu o Brasileirão, e o rubro-negro paranaense, que levou a taça da Sul-Americana. E como ambos estavam envolvidos na disputa da Libertadores, só estrearam na competição na terceira fase.

Em sua campanha, o Atlético-MG passou por Remo, Bahia, Fluminense e Fortaleza, chegando à terceira decisão da Copa do Brasil na sua história – foi campeão em 2014 e vice em 2016. Já o Athletico-PR eliminou Avaí, Atlético-GO, Santos e Flamengo. Também está em sua terceira final do torneio, tendo perdido a de 2013 e levantado a taça em 2019.

Nesta temporada, os clubes haviam se enfrentado duas vezes, ambas pelo Brasileirão, com triunfos da equipe mineira, por 2 a 0, em Belo Horizonte, e 1 a 0, em Curitiba. Agora, a goleada por 4 a 0 praticamente assegura o título da Copa do Brasil para o Atlético-MG.

Primeiro tempo: Intenso, Atlético-MG abre 2 a 0

Em relação ao time-base que conquistou o título brasileiro, o Atlético-MG não teve o zagueiro Nathan Silva, que disputou a Copa do Brasil pelo Atlético-GO. E como Réver está lesionado, Igor Rabello foi o escolhido por Cuca para atuar. Já no Athletico-PR, Alberto Valentim escalou uma formação com três zagueiros. E a novidade da formação foi a presença do atacante Renato Kayzer, recuperado de lesão.

Com essas escalações, o Athletico-PR até finalizou mais vezes – 7 a 4 – nos 45 minutos iniciais, mas foi dominado pela equipe mineira, que só levou alguns sustos nos minutos finais, quase sempre neutralizando o trio ofensivo composto por Kayzer, Nikão e Terans.

Agressivo, o Atlético-MG marcou a saída de bola do adversário e buscou ditar as ações desde o começo da partida, a ponto de o adversário só ter conseguido passar do meio-campo com a posse de bola no sétimo minuto. Porém, o time mineiro sofreu um revés ao perder Diego Costa, por lesão, aos 12 minutos, após sofrer duas pancadas – a segunda delas, inclusive, rendeu um cartão amarelo ao capitão Thiago Heleno que, suspenso, desfalcará o Athletico-PR na finalíssima.

Ainda assim, o Atlético-MG não demorou a abrir o placar. Após cruzamento de Zaracho, a bola tocou no braço de Léo Cittadini. A arbitragem assinalou pênalti, que Hulk bateu forte e rasteiro, no canto esquerdo, aos 23 minutos, marcando pela sétima vez na Copa do Brasil.

Quando o Athletico-PR buscava sair para o jogo, sofreu o segundo gol, aos 34 minutos. Dessa vez, Keno foi acionado por Zaracho na intermediária, driblando Erick e Léo Citaddini antes de finalizar. A bola entrou no cantinho direito da meta defendida por Santos.

Só aí o Athletico-PR conseguiu atacar, contendo a intensidade do time mineiro. Teve boas chances em jogadas de bola parada, sendo a principal delas uma cobrança de falta de Terans, defendida por Everson, que assim assegurou o placar 2 a 0 para o Atlético-MG na saída para o intervalo.

Segundo tempo: Vargas sacramenta vitória e goleada atleticana

Com a vantagem, a etapa final se desenhava com o time mineiro mais cauteloso à espera do Athletico-PR. Mas o alto poder de marcação do Atlético-MG lhe garantia o controle da partida. E o terceiro gol veio após uma roubada de bola. Aos 11 minutos, Thiago Heleno saiu jogando errado, em cima de Hulk. Ele chutou cruzado, Santos não segurou a bola e Vargas empurrou para as redes.

Perdido em campo, o Athletico-PR não conseguia criar e era dominado pelo Atlético-MG que ameaçava nos contra-ataques. E praticamente definiu a decisão aos 23 minutos. Dessa vez, Hulk avançou livre, tabelou com Nacho e cruzou. Zaracho não finalizou, mas a bola sobrou para Vargas bater e marcar pela segunda vez na partida, fazendo 4 a 0.

Depois, o Atlético-MG praticamente só se preocupou em fazer o tempo passar. Não correu riscos, ainda desperdiçou oportunidades de marcar pela quinta vez, a principal delas já nos acréscimos, com uma cavadinha de Hulk.

O gol não saiu, mas não diminuiu a alegria da imensa maioria dos 53.381 torcedores que lotaram o Mineirão neste domingo e já soltaram o grito de bicampeão, comemorando o título do Brasileirão e adiantando a festa pela conquista da Copa do Brasil, que tem tudo para vir na próxima quarta-feira.

Mais Recentes da CNN