Brasil conquista 4 medalhas de ouro no 9º dia dos Jogos Paralímpicos

Com duas vitórias na natação, uma no atletismo e outra no parataekwondo – que estreou em Tóquio –, país chega a 19 medalhas douradas e está a duas de recorde

Nadador Talisson Glock conquistou ouro nos 400 m livre (classe S6)
Nadador Talisson Glock conquistou ouro nos 400 m livre (classe S6) Miriam Jeske - 2.set.2021/CPB

Murillo Ferrarida CNN

Em São Paulo

Ouvir notícia

O Brasil fechou o 9º dia de competições dos Jogos Paralímpicos de Tóquio, com quatro medalhas de ouro, além de uma de prata e outra de bronze.

Talisson Glock e Gabriel Geraldo subiram ao lugar mais alto do pódio na natação ao vencerem os 400 m livre (classe S6) e os 50 m costas (classe S2), respectivamente.

No atletismo, Alessandro Silva conquistou o bicampeonato no lançamento de disco (F11). Já Nathan Torquato se tornou o primeiro campeão da história do parataekwondo, ao vencer a disputa na classe K44 para atletas até 61kg.

As outras medalhas do dia vieram com Marivana Oliveira, que levou a prata no arremesso de peso (classe F35), e com Mateus Evangelista, bronze no salto em distância (classe T37).

Com essas medalhas, o país chegou a 19 ouros na competição e está a apenas duas vitórias de igualar a melhor marca de medalhas douradas em uma única edição, alcançada em Londres 2012.

Em Tóquio, o Brasil também já alcançou a histórica marca de 100 medalhas de ouro na história dos Jogos Paralímpicos, após a vitória do fundista Yeltsin Jacques na prova dos 1.500 m, na terça-feira (31).

Ao todo, o país soma 54 medalhas nas Paralimpíadas, com 19 ouros, 13 pratas e 22 bronzes. Está na 6ª colocação no quadro de medalhas geral.

Destaques na natação

“Eu sabia que eu ia nadar bem. Não sabia o quanto, mas sabia que eu ia nadar bem. É muito bom nadar entre os melhores e com os melhores. Consegui aplicar tudo o que treinei. Estou muito feliz”, afirmou Talisson, depois da prova.

“No futuro, acho que posso nadar para o recorde mundial nesta prova. Eu me vejo fazendo isso. É o meu objetivo, com certeza. Estou muito mais maduro e vou sair de Tóquio realizado”, completou o paratleta catarinense.

Ele fechou os 400 m livre em 4min54s42, superando o italiano Antonio Fantin (4min55s70) e Viacheslav Lenskii, do Comitê Paralímpico Russo (5min04s84).

Gabriel Geraldo conquistou segundo ouro em Tóquio ao vencer os 50 m costas (classe S2)
Gabriel Geraldo conquistou segundo ouro em Tóquio ao vencer os 50 m costas (classe S2) / Miriam Jeske – 2.set.2021/CPB

Gabriel Geraldo, de 19 anos, conquistou sua segunda medalha de ouro nos Jogos Paralímpicos.

“As três medalhas têm um espaço especial no meu coração. Os 50 m costas é uma prova rápida. A gente tem que aproveitar as vantagens e não podemos errar. Porque qualquer erro pode custar caro”, disse Gabriel.

Ele garantiu a medalha de ouro na prova, disputada na manhã desta quinta no Centro Aquático de Tóquio, com o tempo de 53s96.

Vitória também no atletismo…

Alessandro Silva, de 37 anos, conquistou a medalha de ouro no lançamento de disco F11 (para cegos).

Ele quebrou seu próprio recorde paralímpico com a marca de 43,16 m – a marca anterior era de 43,06m. A prata ficou para o iraniano Mahdi Olad e o bronze para o italiano Oney Tapia.

“Pressão e chuva! Tudo isso deu mais emoção para esta conquista. O Ayrton Senna ganhava na chuva e tem muito brasileiro que trabalha todo dia na chuva. A gente tem que se espelhar nessas pessoas”, disse o medalhista.

Alessandro Silva quebrou prórpio recorde e levou ouro no lançamento de disco F11 (para cegos)
Alessandro Silva quebrou prórpio recorde e levou ouro no lançamento de disco F11 (para cegos) / Wander Roberto – 2.set.2021/CPB

 … e medalha inédita no parataekwondo

O Brasil conquistou a primeira medalha da história do parataekwondo em Jogos Paralímpicos. Nathan Torquato, da classe K44 até 61kg, venceu o egípcio Mohamed Elzayat.

“Essa medalha dourada é para o Brasil, para a minha família, para a minha equipe e para todos que torceram por mim”, disse Torquato.

“Apesar de ser novo (20 anos) já tenho 17 anos de história nesse esporte. Já lutei no convencional, depois fiz a migração para o paradesporto e foi a melhor escolha que fiz na minha vida”, completou o atleta.

Nathan Torquato conquistou primeira medalha da história do parataekwondo
Nathan Torquato conquistou primeira medalha da história do parataekwondo / Rogério Capela – 2.set.2021/CPB

Finais no Futebol de 5 e no Goalball

As equipes brasileiras se classificaram para mais duas finais: no futebol de 5 e no goalball masculino.

No Futebol de 5, em jogo equilibrado e debaixo de muita chuva, os brasileiros venceram Marrocos por 1 a 0, com um gol contra. Enfrentam na disputa pelo ouro a Argentina, no sábado (4), às 5h30 (horário de Brasília).

Já no goalball, a equipe masculina fez uma partida impecável contra a Lituânia, atual campeã paralímpica, e venceu os europeus por 9 a 5.

A briga pelo ouro inédito será contra a China, nesta sexta-feira (3), às 7h30 (horário de Brasília). 

Já no feminino, o Brasil foi derrotado nos pênaltis pelos Estados Unidos por 3 a 2, após 11 cobranças. As atletas brasileiras continuam na briga por uma inédita medalha diante do Japão, na sexta-feira (3), à 1h15 (horário de Brasília), na decisão pelo bronze.

Mais Recentes da CNN