Lenda chinesa do basquete afirma que tenista Peng Shuai está “em boas condições”

Em evento, Yao Ming disse que os dois estão animados com os Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Yao Ming participa de evento em Pequim
Yao Ming participa de evento em Pequim 17/01/2022REUTERS/Yew Lun Tian

Steven Jiangda CNN

Ouvir notícia

A lenda chinesa do basquete, Yao Ming, falou pela primeira vez sobre seu encontro no mês passado com a estrela do tênis Peng Shuai, descrevendo-a como em “boas condições”. O bem-estar de Peng tornou-se uma preocupação global depois que ela fez acusações de agressão sexual contra um ex-líder nacional.

“Conheço Peng Shuai há quase 20 anos”, disse Yao na segunda-feira (17) em Pequim durante coletiva de imprensa sobre os Jogos Olímpicos de Inverno de 2022 . “Ela é um pouco mais jovem, mas pertencemos à mesma geração de atletas.”

“Estamos muito intrigados com uma competição de esportes de inverno em Xangai – nos sentimos como crianças novamente”, acrescentou, em resposta à CNN. “Ela estava em boas condições. Conversamos alegremente e fazendo muitas perguntas sobre o esporte”.

Em 19 de dezembro, um jornalista da mídia estatal postou uma foto e um clipe de Yao e Peng juntos em uma excursão de esqui em Xangai, na qual eles pareciam estar conversando e sorrindo. As imagens foram compartilhadas no Twitter, bloqueado na China.

Peng, de 36 anos, ex-campeã de duplas de Wimbledon e Aberto da França, está no centro de uma tempestade internacional desde que acusou o vice-primeiro-ministro aposentado Zhang Gaoli, de 75, de forçá-la a fazer sexo durante um relacionamento de vários anos. postagem on-line em novembro.

Os censores do governo rapidamente apagaram sua postagem das mídias sociais chinesas e ela desapareceu dos olhos do público.

Em meio a um crescente clamor internacional, pessoas conectadas à mídia estatal ou ao sistema esportivo estatal postaram várias imagens no Twitter mostrando Peng por aí, bem como um e-mail supostamente escrito por ela insistindo que “está tudo bem”.

Tenista chinesa Peng Shuai durante Aberto da Austrália / 15/01/2019 REUTERS/Edgar Su

No mesmo evento de dezembro em que ela foi fotografada com Yao, Peng disse ao jornal chinês Lianhe Zaobao, com sede em Cingapura, que “nunca falei ou escrevi sobre alguém me agredindo sexualmente”, em seus primeiros comentários à mídia internacional desde as alegações.

Quando perguntada se ela conseguiu se mover livremente ou se estava preocupada com sua segurança, Peng disse que “sempre foi livre” e que mora em sua casa em Pequim.

Yao, que agora é presidente da Associação Chinesa de Basquete, afiliada ao Estado, não abordou as alegações de Peng, que continuam sendo um assunto tabu na China.

A Associação de Tênis Feminino (WTA) continuou pedindo uma investigação completa e transparente sobre as alegações de Peng e suspendeu todos os torneios na China por sua segurança.

Como vice-primeiro-ministro, Zhang atuou no Comitê Permanente do Politburo, de sete pessoas, do Partido Comunista – o órgão supremo de liderança do país – ao lado do presidente Xi Jinping de 2012 a 2017. Ele se aposentou do cargo em 2018.

“Visitar a China pode mudar muitas percepções”

Yao, de 41 anos, jogador de longa data do Houston Rockets, também respondeu a uma pergunta da CNN sobre as reações que a NBA enfrenta na China depois que vários membros da liga criticaram o histórico de direitos humanos de Pequim em questões delicadas como Hong Kong e Xinjiang.

Comentários do pivô do Boston Celtics, Enes Kanter Freedom, e do ex-gerente geral dos Rockets, Daryl Morey, levaram a um súbito apagão de jogos e pedidos de boicote.

Yao disse que não conhece Freedom ou como o astro do Celtics formou sua opinião sobre a China, mas o convidou para visitar o país.

Yao Ming
Yao Ming em atuação pelo Houston Rockets, durante seu período na NBA / Reuters

“Eu ou outros fãs de basquete podemos ser seu guia pela China – e isso pode ajudá-lo a ter uma visão mais completa da China”, disse ele. “Os esportes constroem pontes. Pode levar algum tempo para resolver alguns problemas e acho que o tempo resolverá muitos deles. Mas queremos manter as pontes intactas.”

Como embaixador de promoção que ajudou Pequim a vencer sua candidatura para sediar os Jogos Olímpicos de Inverno de 2022, Yao evitou várias perguntas sobre o anúncio do governo dos EUA de um “boicote diplomático” aos próximos Jogos, que devem começar em Pequim em 4 de fevereiro.

“Os Jogos fornecem uma plataforma para atletas e amantes do esporte – e isso é o mais importante”, disse ele. “Se alguém ouvir algo negativo (sobre os Jogos), talvez você ouça o que eles têm a dizer e veja se eles têm razão – e então decida se vale a pena ouvir”.

“Ver para crer – visitar a China pode mudar muitas percepções”, acrescentou. “Eu morei nos EUA por 10 anos – e (o que eu experimentei) era diferente do que eu tinha lido sobre os EUA nos livros quando eu era criança.”

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN