Mudanças climáticas podem tornar Olimpíadas de Inverno “perigosas”, diz estudo

O uso de neve artificial pode causar disperdício de água e energia, além de criar superfícies "imprevisíveis" para os atletas

Da Reuters

Ouvir notícia

As mudanças climáticas estão ameaçando as Olimpíadas de Inverno e o futuro dos esportes na neve, tornando as condições das práticas muito mais perigosas para os atletas e participantes, alertaram especialistas em um relatório publicado uma semana antes do início da Olimpíada de Inverno de 2022, em Pequim.

Os Jogos de Pequim, que começam em 4 de fevereiro, serão os primeiros a usar praticamente 100% de neve artificial, empregando mais de 100 geradores de neve e 300 canhões de neve para cobrir os obstáculos do esqui.

Esqui Cross Country / Divulgação

“Isso não é somente um uso de energia e água intenso, que frequentemente usa produtos químicos para derreter a neve, mas também oferece uma superfície que muitos competidores declararam ser imprevisível e potencialmente perigosa”, disse o relatório, escrito por pesquisadores do Grupo de Ecologia do Esporte da Universidade de Loughborough, na Inglaterra, e pelo grupo ambientalista Protect Our Winters (Proteja Nossos Invernos, em tradução para o português).

As duas cidades coanfitriãs, Pequim e Zhangjiakou, que possuem climas naturalmente áridos, podem usar cerca de 49 milhões de galões de água tratada quimicamente e congelada por máquinas de neve, de acordo com a pesquisa.

Apesar de a China declarar repetidamente que usa somente água da queda da chuva natural e água reciclada para a confecção da neve, há preocupações de que o ritmo de utilização intensa da água possa pressionar os recursos já escassos da região.

A neve natural está se tornando menos abundante em algumas regiões e a disponibilidade de água para a confecção da neve artificial está caindo, em um dos resultados das mudanças climáticas, colocando a indústria global de esportes na neve em risco.

“Navegar temporadas de neve erráticas e o derretimento rápido de baixos níveis de recursos é a norma atual para muitos competidores”, disse o estudo.

O risco é claro: o aquecimento como resultado da ação humana está ameaçando o futuro a longo prazo dos esportes de inverno. Ele também está reduzindo o número de locais climaticamente aptos para receber uma Olimpíada de Inverno.

Pesquisadores do Grupo de Ecologia do Esporte da Universidade de Loughborough, na Inglaterra

Dos 21 locais usados para os Jogos de Inverno desde a sua estreia em Chamonix, em 1924, os pesquisadores estimam que até 2050, apenas 10 terão “disponibilidade climática” e níveis adequados de queda natural de neve para receber o evento.

Chamonix agora é classificada como de “alto risco”, juntamente com locais na Noruega, França e Áustria, enquanto Vancouver, Sochi e o Vale Squaw, nos Estados Unidos, são considerados “não confiáveis”.

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN